PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

"Acreditamos muito na linha do liberalismo", diz presidente da Abralatas

Em visita a Fortaleza, Câtilo Cândido falou sobre as perspectivas para o setor de lata e alumínio para 2019

18:16 | 22/05/2019
Segundo o presidente executivo da Abralatas, Cátilo Cândido, expectativa é que o setor cresça 8,5% em 2019
Segundo o presidente executivo da Abralatas, Cátilo Cândido, expectativa é que o setor cresça 8,5% em 2019(Foto: Deísa Garcêz)

O presidente da Associação Brasileira dos Fabricantes de Lata de Alumínio (Abralatas), Cátilo Cândido, visitou a sede da multinacional polonesa Can-Pack, em Maracanaú, na Grande Fortaleza, ontem. A indústria tem capacidade para produzir 1 bilhão e meio da latas e 4 bilhões de tampas por ano. A empresa se instalou há um ano no Ceará e investiu R$ 600 milhões em duas plantas de produção. Ao todo, são 1.200 empregos diretos e indiretos.

“Toda parte de indústria, laboratórios e máquinas do setor são ultramodernas no Brasil. O que tem de mais capacitado tem no Ceará. Realmente, estamos produzindo alta tecnologia e com uma cadeia circular de alta sustentabilidade”, avaliou o mercado interno. Cátilo assumiu a presidência há dois meses e diz que pretende dar continuidade às ações sustentáveis e manter diálogo com os setores público e privado. Ele cita que, atualmente, 98% do que é produzido pelo segmento é reciclado.

Para ele, o dado expõe que o mercado está alinhado com o consumidor contemporâneo, que busca por produtos com valor agregado e assinatura ecológica. Por esta razão, a expectativa é crescimento de 8,5% em 2019 mesmo diante das incertezas do cenário econômico. “Acreditamos muito na linha do liberalismo e que os empresários possam ajudar fazendo sua parte para o País prosperar”, pondera. Dentre as tendências que devem impulsionar, está o uso de latas para chás, sucos e cervejas artesanais. Uma nova fábrica está prevista para inaugurar no segundo semestre deste ano, em Goiás, gerando 1 mil novos postos de trabalho.

Bruna Damasceno