PUBLICIDADE
Economia

Amcham: empresários esperam que Bolsonaro trate com Trump de acordo bilateral

14:11 | 19/03/2019
Empresários brasileiros interessados no comércio com os Estados Unidos apontaram a criação de um acordo de livre comércio e a negociação de mecanismos alfandegários que facilitem a entrada de executivos e investidores em território americano entre os assuntos mais relevantes a serem tratados no encontro desta terça-feira dos presidentes Jair Bolsonaro e Donald Trump.
Para a maioria dos 252 presidente e diretores de empresas ouvidos pela Câmara Americana de Comércio no Brasil (Amcham), a criação de um acordo de livre comércio contribuiria para eliminar barreiras burocráticas e tarifárias.
Eles apontam, porém, entraves ao avanço das negociações.
Para 25% dos entrevistados, a política comercial americana, que concede subsídios aos agricultores locais e impõe tarifas adicionais sobre produtos concorrentes, dificulta o entendimento entre os países. Eles ainda reclamam da falta de negociações prévias entre o Brasil e os Estados Unidos e da falta de padronização regulatória para facilitar o comércio entre os dois países.
Os empresários brasileiros querem também que Bolsonaro reivindique a Trump facilidades à entrada de investidores em solo americano, como parte dos mecanismos alfandegários batizados de Global Entry.
"Parceiros comerciais estratégicos já estão nesta lista de bons visitantes dos Estados Unidos e esta seria uma agenda realista para início de uma estratégia de ampliação da aproximação comercial entre os dois países", afirmou Deborah Vieitas, presidente da entidade no Brasil. Ela participa da delegação que acompanha o presidente Bolsonaro aos Estados Unidos.
A pesquisa revelou ainda o otimismo dos empresários com a visita do governo brasileiro a Trump. A maioria não espera resultados concretos no curto prazo, mas acredita no empenho da equipe de Bolsonaro numa real aproximação com o parceiro norte-americano.

Agência Estado