PUBLICIDADE
Notícias
SERVIÇOS NO CEARÁ

Setor de serviços no Ceará fecha 2018 com baixa de 7,1%, conforme pesquisa

O setor de serviços no Ceará fechou 2018 com baixa (7,1%), bem maior que a média nacional (0,1%). Pesquisa foi realizada pelo IBGE

01:33 | 15/02/2019
O setor de serviços no Ceará fechou 2018 com baixa (7,1%), bem maior que a média nacional (0,1%). (Foto: Fábio Lima/ O POVO)
O setor de serviços no Ceará fechou 2018 com baixa (7,1%), bem maior que a média nacional (0,1%). (Foto: Fábio Lima/ O POVO)

O setor de serviços no Ceará fechou 2018 com baixa (7,1%), conforme Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada nesta quinta-feira, 14, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa representa uma queda bem maior que a média nacional (0,1%). Os serviços caíram em 23 estados dos 27 da federação brasileira, segundo apresenta o Instituto.

Outros estados também obtiveram resultados negativos ao final do ano passado, como mostra a pesquisa. É o caso da Bahia (3,3%), do Rio de Janeiro (3,2%), do Paraná (1,7%) e do Rio Grande do Sul (1,7%). Já São Paulo apresentou um efeito positivo (2,1%) na receita real de serviços, ainda maior que a nacional (0,1%).

Novembro para dezembro

Em relação aos dois últimos meses do ano, 18 dos 27 estados da federação brasileira tiveram um salto no volume de serviços. Ainda assim, a variação nacional positiva (0,2%) é menor do que em estados da região Sudeste, como Rio de Janeiro (1,6%) e São Paulo (0,3%). Com um acúmulo (2,7%), a taxa paulista já é a quinta positiva seguida.

Nos resultados negativos, o Ceará (6,3%) figura junto do Mato Grosso (9,7%) e da Bahia (2%). A taxa cearense foi prejudicada “pelo segmento de seleção e agenciamento de mão-de-obra”, segundo informa o relatório. Já o estado do Centro-Oeste foi afetado “pelos recessos característicos dessa região no transporte rodoviário de carga” e o baiano “por menores receitas vindas de telecomunicações e atividades de apoio à agricultura”.

Larissa Carvalho