PUBLICIDADE
Notícias

Total de celulares no Brasil cai 3% com abandono de 2º chip

19:43 | 11/02/2019
O Brasil perdeu 7,3 milhões de linhas de celular no ano passado, segundo levantamento da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). A redução corresponde a uma queda de 3,08% na quantidade de conexões entre dezembro de 2017 e o fim de 2018.
Com isso, o País repete a tendência de queda registrada nos últimos anos - entre 2016 e 2017, foram cortadas 7,6 milhões de linhas. Assim como em períodos anteriores, a queda se motiva, principalmente, pelo corte da segunda conte de celular de muitos usuários. O surgimento de aplicativos como WhatsApp fez parte dos brasileiros deixarem de ter chips de diferentes operadoras para falar com diferentes contatos.
Apesar do abandono dos chips extras, os celulares pré-pagos continuam sendo maioria no Brasil - as linhas desse tipo equivalem a 56,5% do mercado, com 129,5 milhões de clientes. Já os telefones pós-pagos são hoje 43,5% do mercado, com 99,6 milhões de aparelhos.
Operadoras
A Vivo continua a ser a principal operadora do País, liderando o mercado com 73 milhões de clientes (31,9% do total). Em segundo lugar vem a Claro, com 56,4 milhões de linhas (24,6%). As duas são seguidas por TIM e Oi, com 55,9 milhões (24,4%) e 37 milhões (14,4%) de celulares ativos, respectivamente.
A maior parte dos celulares no País (55,64%) já tem a conexão de internet móvel mais rápida disponível atualmente, o 4G. O serviço 3G é usado por 23,87% dos clientes, enquanto 10,84% ainda estão no 2G. Ainda conforme a Anatel, a adoção da tecnologia 4G cresceu 27% no último ano, enquanto a participação do 3G diminuiu 36,82%.
TAGS