PUBLICIDADE
Notícias

IPCA para 2019 passa de 3,94% para 3,87%, aponta Focus

17:25 | 11/02/2019
Os economistas do mercado financeiro alteraram a previsão para o IPCA - o índice oficial de inflação - em 2019. O Relatório de Mercado Focus divulgado nesta segunda-feira, 11, pelo Banco Central, mostra que a mediana para o IPCA este ano passou de alta de 3,94% para elevação de 3,87%. Há um mês, estava em 4,02%. A projeção para o índice em 2020 seguiu em 4,00%. Quatro semanas atrás, estava no mesmo nível.
O relatório Focus trouxe ainda a projeção para o IPCA em 2021, que seguiu em 3,75%. No caso de 2022, a expectativa também permaneceu em 3,75%. Há quatro semanas, essas projeções eram de 3,75% para ambos os casos.
A projeção dos economistas para a inflação está abaixo do centro da meta de 2019, de 4,25%, sendo que a margem de tolerância é de 1,5 ponto porcentual (índice de 2,75% a 5,75%). Para 2020, a meta é de 4%, com margem de 1,5 ponto (de 2,50% a 5,50%). No caso de 2021, a meta é de 3,75%, com margem de 1,5 ponto (de 2,25% a 5,25%).
Na semana passada, ao manter a Selic (a taxa básica de juros) em 6,50% ao ano, o BC atualizou suas projeções para a inflação no cenário de mercado: 3,9% para 2019 e 3,8% para 2020.
No Focus agora divulgado, entre as instituições que mais se aproximam do resultado efetivo do IPCA no médio prazo, denominadas Top 5, a mediana das projeções para 2019 foi de 3,83% para 3,88%. Para 2020, a estimativa do Top 5 permaneceu em 4,00%. Quatro semanas atrás, as expectativas eram de 3,90% e 4,00%, nesta ordem.
No caso de 2021, a mediana do IPCA no Top 5 permaneceu em 3,75%, igual ao verificado há um mês. A projeção para 2022 no Top 5 seguiu em 3,50%, igual ao visto quatro semanas antes.
Últimos 5 dias úteis
A projeção mediana para o IPCA 2019 atualizada com base nos últimos 5 dias úteis passou de 3,90% para 3,87%. Houve 28 respostas para esta projeção no período. Há um mês, o porcentual calculado estava em 4,02%.
No caso de 2020, a projeção do IPCA dos últimos 5 dias úteis permaneceu em 4,00%. Há um mês, estava no mesmo patamar. A atualização no Focus foi feita por 26 instituições.
Outros meses
Os economistas do mercado financeiro alteraram a previsão para a alta do IPCA em fevereiro de 2018, de 0,36% para 0,35%. Para março, a projeção seguiu em 0,34% e, para abril, passou de 0,38% para 0,37%. Há um mês, os porcentuais eram de 0,33% e 0,39%, respectivamente.
No Focus desta segunda-feira, a inflação suavizada para os próximos 12 meses foi de 3,99% para 4,00% de uma semana para outra - há um mês, estava em 4,05%.
Preços administrados
O relatório do BC indicou manutenção na projeção para os preços administrados em 2019 e 2020. A mediana das previsões do mercado financeiro para o indicador este ano seguiu com alta de 4,89%. Para 2020, a mediana permaneceu indicando alta de 4,30%. Há um mês, o mercado projetava aumento de 4,80% para os preços administrados em 2019 e elevação de 4,00% em 2020.
As projeções atuais do BC para os preços administrados, no cenário de mercado, indicam elevações de 5,1% em 2019 e 3,9% em 2020. Estes porcentuais foram informados no Relatório Trimestral de Inflação (RTI), divulgado em dezembro.
Taxa Selic
Na esteira da decisão da semana passada do Comitê de Política Monetária (Copom), os economistas do mercado financeiro mantiveram suas projeções para a Selic (a taxa básica de juros) no fim de 2019. O Relatório de Mercado Focus trouxe nesta segunda-feira, 11, que a mediana das previsões para a Selic este ano seguiu em 6,50% ao ano. Há um mês, estava em 7,00%. Já a projeção para a Selic no fim de 2020 seguiu em 8,00%, igual ao visto quatro semanas atrás.
No caso de 2021, a projeção também seguiu em 8,00%, igual ao verificado um mês antes. A projeção para a Selic no fim de 2022 permaneceu em 8,00%, mesmo patamar de um mês antes.
Na semana passada, Copom anunciou a manutenção, pela sétima vez consecutiva, da taxa de juro básica em 6,50% ao ano. Ao mesmo tempo, o BC indicou que os riscos de curto prazo relacionados ao cenário externo diminuíram e que deve manter "cautela, serenidade e perseverança" nas próximas decisões, "inclusive diante de cenários voláteis".
No grupo dos analistas consultados que mais acertam as projeções (Top 5) de médio prazo, a mediana da taxa básica em 2019 seguiu em 6,50% ao ano, ante 7,00% de um mês antes. No caso de 2020, seguiu em 8,00%, igual ao quatro semanas atrás.
A projeção para o fim de 2021 no Top 5 permaneceu em 8,00%. Há um mês, estava no mesmo patamar. Para 2022, a projeção do Top 5 também seguiu em 8,00%, igual ao visto um mês antes.
Ciclo de alta
Em um ambiente de inflação baixa e atividade ainda fraca, os economistas do mercado financeiro esperam pela manutenção da Selic (a taxa básica) no atual patamar, de 6,50% ao ano, até janeiro de 2020, quando o Banco Central daria início a um novo ciclo de alta de juros.
Conforme o Sistema de Expectativas de Mercado do relatório Focus, divulgado nesta segunda, a projeção do mercado é de que a Selic suba de 6,50% para 6,75% em janeiro de 2020. Depois, em fevereiro, a taxa passaria para 7,00% ao ano.
Segundo o Sistema de Expectativas, a Selic seguiria subindo até julho de 2020, quando atingiria 8,00% ao ano. A projeção para agosto de 2020, incorporada nesta segunda ao sistema, é de Selic a 7,75% ao ano.
TAGS