PUBLICIDADE
Notícias
RISCOS DURANTE A FOLIA

21% de pessoas foram vítimas de fraudes ou transtornos no Carnaval 2018, diz estudo

Dados ainda mostram que 68% dos que vão gastar no Carnaval temem sofrer algum tipo de golpe ou ser vítima de violência

00:19 | 28/02/2019

21% de pessoas foram vítimas de fraudes ou transtornos no Carnaval 2018, conforme estudo feito pela Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), divulgado nesta quarta-feira, 27. A pesquisa foi feita com foliões que pretendem ir para as festas carnavalescas neste ano.

Cerca de 603 consumidores, com intenção de gastar neste Carnaval, responderam à pesquisa. Dos resultados, os principais problemas foram compra de produtos falsificados (7%), furto de objetos pessoais (6%), assalto (4%), perda de documentos pessoais (4%) e perdas de cartões (3%).

Das pessoas que sofreram roubos ou furtos, os itens que mais se destacaram foram celulares (78%) e dinheiro (65%). Ainda ocorreram casos de foliões que voltaram para casa sem documentos (46%) e cartões de crédito e débito (33%). Dos consumidores que tiveram documentos pessoais, cartões de banco ou cheques roubados, tiveram fraudes (30%) com o uso do nome para saques em dinheiro, compras ou abertura de financiamentos e empréstimos.

Desse modo, o número (68%) de brasileiros que temem passar por algum tipo de violência ou golpes durante os dias de folia neste ano é alto. Mulheres (72%) e jovens (75%) compõe o perfil da maioria. Para os entrevistados, as principais implicações em quem for vítima de golpe ou violência são receber fatura de compras indevidas (73%), perder tempo ao denunciar a situação na polícia, bancos ou lojas (63%) e perda de dinheiro (62%).

Orientações

Apenas 11% dos entrevistados conhecem serviços antifraudes, como ferramentas de monitoramento do CPF, de acordo com observações da pesquisa. A maioria (76%) dos foliões ficará em alerta para evitar de serem vítimas de fraudes ou golpes. Eles acreditam que a maneira mais comum de se proteger é tomar cuidado com os pertences (48%), fazer compras apenas em locais confiáveis (36%) e não passar dados a estranhos (34%). Já outras pessoas (24%) não veem necessidade em tomar precauções.

“Ninguém está totalmente livre de passar por situações de golpe, furtos ou roubos, ainda mais durante eventos de massa como o carnaval. Ainda assim, é possível diminuir as chances de algo sair errado”, disse o superintendente de bureau de crédito do SPC Brasil, Nival Martins. Conforme orienta, as dicas mais básicas são andar apenas com cópias autenticadas dos documentos pessoais, evitar bolsas e mochilas e deixar o cartão de crédito ou débito sempre bem guardados, longe da vista de terceiros.

Em casos de furtos e roubos, é importante ainda deixar anotado o número do serviço de atendimento da operadora do cartão para bloquear o mais rápido possível.

Larissa Carvalho