Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Ideia de Eunício preocupa ministro da Fazenda

O petróleo excedente das áreas da cessão onerosa deverá ser explorado pelo regime de partilha
22:00 | Nov. 19, 2018
Autor -
Foto do autor
- Autor
Tipo Notícia

O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, demonstrou preocupação com a ideia anunciada pelo presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB), de dividir com os Estados o dinheiro a ser arrecadado com o megaleilão de áreas de petróleo. O arremate é previsto para o ano que vem. As informações são da Agência Estado.
 
[FOTO1] 
Para Guardia, não se pode esquecer que a União passa por um problema fiscal gravíssimo, e os recursos do leilão já fazem parte da contabilidade da equipe econômica para tentar melhorar esse cenário em 2019.

No último dia 14, Eunício participou da reunião de Jair Bolsonaro com os governadores, em Brasília. Foi o emedebista quem disse que o presidente eleito e o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, aceitaram o repasse de parte dos valores obtidos no leilão para estados e municípios.

O leilão transfere os direitos de exploração do petróleo da camada pré-sal – a chamada cessão onerosa. O senador cearense compartilhou que a estimativa de renda para a União com o leilão fique entre R$ 120 bilhões e R$ 130 bilhões.  

Ainda segundo ele, o percentual a ser repassado ainda não está definido, mas deve seguir a regra de divisão do fundo de participação dos municípios. O leilão é uma das apostas da equipe econômica do presidente eleito para reduzir o déficit primário.
 
Pedido de urgência 
Dia 7, o Senado aprovou pedido de urgência para a votação do projeto que permite à Petrobras transferir, para outras empresas, até 70% dos direitos de exploração dos 5 bilhões de barris de petróleo.
 
[SAIBAMAIS] 
A cessão onerosa foi um acordo fechado, em 2010 entre a União e a Petrobras que permitiu à estatal do petróleo explorar, sem licitação, os campos do pré-sal na Bacia de Santos. Em troca do direito de exploração, a estatal pagou R$ 74,8 bilhões à União.

Nos anos seguintes, porém, a cotação do barril de petróleo caiu muito, motivada por tensões geopolíticas e preocupações quanto ao desempenho da economia, entre outros fatores. A Petrobras alega que pagou à União um valor muito alto no acordo de 2010 e avalia que tem direito de ser ressarcida. Esse é um dos pontos da discussão.

"O valor [até R$ 130 bilhões] não está fechado, mas há um entendimento de que pode chegar a isso. O valor que chegar, um percentual iria para estados e municípios. Guedes concorda com isso e conduziu a conversa para a defesa da federação verdadeira, que são os estados e municípios brasileiros", declarou o presidente do Senado.
 
Análise 
Técnicos, no entanto, consideram a proposta inconstitucional, já que altera um ato jurídico perfeito ao determinar a revisão de um contrato firmado voluntariamente entre as partes, sem anuência das mesmas e de um modo diferente do acordado.

O projeto também concede benefícios não precificados para a Petrobras, o que pode configurar transferência indevida de renda aos acionistas privados da companhia, dizem fontes. Por outro lado, a revisão pode abrir brechas para uma revisão contratual que prejudique a Petrobras no futuro.
 
Permite ainda que a Petrobras possa vender até 70% dos 5 bilhões de barris a que tem direito na área para outras empresas. A proposta também vai dispensar os consórcios dos quais a Petrobras participa de seguir as regras da Lei das Estatais para a compra de itens, produtos e serviços. Isso vai liberar os consórcios para aquisições a partir de convite a uma lista de fornecedores.

Não há mais tempo para realizar o leilão neste ano.Com a mudança na regra do Tribunal de Contas da União (TCU), válida a partir de 2019, o governo terá que enviar todas as informações referentes ao leilão 150 dias antes da publicação do edital, o que pode adiar a licitação para o fim de 2019 ou até 2020. O TCU também deverá analisar o termo aditivo que será firmado entre União e Petrobras.
 
Redação O POVO Online
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Brasil fica fora do pódio no skate park da Olimpíada

Esportes
02:17 | Ago. 04, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Brasil chegou à final feminina do skate park da Olimpíada de Tóquio (Japão), mas Dora Varella e Yndiara Asp ficaram fora do pódio, na madrugada desta quarta-feira (4) no Parque de Esportes Urbanos de Ariake.

Horóscopo do dia (04/08): previsão do seu signo para hoje, quarta

Signos hoje
02:00 | Ago. 04, 2021
Autor Redação O POVO
Foto do autor
Redação O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

Confira a previsão do horóscopo para seu signo hoje, quarta, 4 de agosto (04/08). Veja abaixo as dicas para cada posição do Zodíaco para o signo solar. O destaque astral é a tensão lunar com Vênus e Netuno.

Horóscopo de hoje para Áries (21 de março a 20 de abril)

Lua e Júpiter harmonizados podem sugerir prosperidade nas parcerias. Tente se mostrar aberta a somar conhecimento e esforços. A tensão lunar com Vênus e Netuno alerta que é preciso ser imparcial nos julgamentos e na extroversão das ideias, pois as emoções afloradas tendem a lhe prejudicar.

Horóscopo de hoje para Touro (21 de abril a 20 de maio)

Busque dar maior atenção à vida profissional, pois Lua e Júpiter harmonizados anunciam oportunidades que beneficiam sua carreira sob diversos aspectos. O alerta da contenção financeira continua, pois a tensão lunar com Vênus e Netuno pode lhe predispor a gastar devido a carências emotivas.

Horóscopo de hoje para Gêmeos (21 de maio a 20 de junho)

Como sugere o trígono Lua-Júpiter, tente ampliar seu olhar para as oportunidades. Os desafios em casa e no trabalho se mostram fatores de instabilidade emocional, dada a tensão lunar com Vênus e Netuno. Procure encará-los com racionalidade e praticidade para encontrar soluções, mesmo que paliativas.

Horóscopo de hoje para Câncer (21 de junho a 22 de julho)

Em breve surgirão oportunidades de dar a volta por cima, pois Lua e Júpiter se aspectam em trígono. Busque seguir confiante em sua jornada, com atenção às novidades. A tensão lunar com Vênus e Netuno pode demandar discrição emotiva e postura imparcial diante dos empecilhos.

Horóscopo de hoje para Leão (23 de julho a 22 de agosto)

As pessoas queridas podem contribuir com seu bem-estar, como aponta o trígono Lua-Júpiter, por isso tente valorizar as interações online. As finanças estão vulneráveis às fragilidades emotivas associadas à tensão lunar com Vênus e Netuno, de modo que procure ter cautela com gastos desnecessários.

Horóscopo de hoje para Virgem (23 de agosto a 22 de setembro)

Do ponto de vista profissional, Lua e Júpiter em trígono pode sugerir bom aproveitamento das oportunidades. O trato interpessoal pode a seguir emocionalmente instável, devido às quadraturas que a Lua forma com Vênus e Netuno. Convém ser discreta e buscar resolver os atritos com diplomacia.

Horóscopo de hoje para Libra (23 de setembro a 22 de outubro)

Busque esvaziar a mente dos problemas e valorizar o lado prazeroso das situações, como sugere o trígono Lua-Júpiter. A instabilidade emotiva apontada pela tensão lunar com Vênus e Netuno continua afetando sua qualidade de vida, visto que pode faltar bom senso na tomada de decisões.

Horóscopo de hoje para Escorpião (23 de outubro a 21 de novembro)

Tente respeitar o espaço alheio e se mostrar aberta ao diálogo. Desafetos podem prejudicar as relações humanas, como aponta a tensão lunar com Vênus e Netuno. É possível reduzir os conflitos interpessoais, dando valor aos momentos prazerosos em família, considerando o trígono Lua-Júpiter.

Horóscopo de hoje para Sagitário (22 de novembro a 21 de dezembro)

Procure se unir a seus pares em prol da coletividade. O dia a dia pode se mostrar emocionalmente desafiador, pois persiste a tensão lunar com Vênus e Netuno. A boa fruição das ideias tende a lhe fazer criar oportunidades de ação em parceria que superam as adversidades, dada a harmonia Lua-Júpiter.

Horóscopo de hoje para Capricórnio (22 de dezembro a 20 de janeiro)

Tente evitar discussões e ser prestativa. O emocional aflorado pode afetar a comunicação com o entorno, já que permanece a tensão lunar com Vênus e Netuno. Do ponto de vista prático, você tende a agir de forma eficiente, criando oportunidades, dada a harmonia entre Lua e Júpiter.

Horóscopo de hoje para Aquário (21 de janeiro a 18 de fevereiro)

Ao lidar com questões materiais, busque evitar que o coração afete a razão. Lua e Júpiter harmonizados podem elevar sua percepção sobre as necessidades que permeiam o convívio com grupos, contribuindo para aperfeiçoar o trato interpessoal e superar certos desafetos.

Horóscopo de hoje para Peixes (19 de fevereiro a 20 de março)

Busque valorizar ambientes acolhedores, pois o trígono Lua-Júpiter sugere fortalecimento através do recolhimento e do apoio familiar. Lua, Vênus e Netuno continuam tensionados, levando-lhe a supervalorizar os desafios emocionais e afetivos, minando a autoestima e a autoconfiança.

Informações de horóscopo fornecidas por Personare

 

Mais sobre signos

Veja se a sua previsão se cumpriu: horóscopo para terça, 3 de agosto (03/08).

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Pela primeira vez, Brasil fica sem medalha no vôlei de praia; atleta cobra investimentos no esporte

Jogos Olímpicos
01:59 | Ago. 04, 2021
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Depois de subir ao pódio em seis olimpíadas seguidas, desde que o vôlei de praia passou a fazer parte do programa olímpico, o Brasil vai passar em branco em Tóquio. Alison e Álvaro Filho perderam nesta terça-feira para Martins Plavins e Edgars Tocs, da Letônia, nas quartas de final disputada no Parque Shiozake, por 2 sets a 0, com parciais de 21/16 e 21/19, deixando o País sem representantes na competição.

Algozes de Evandro e Bruno Schmidt nas oitavas de final, os letões mais uma vez conseguiram se sobressair com a tática de não enfrentar os bloqueios. Aproveitaram, ainda, o nervosismo excessivo de Alison, dono de ouro e prata olímpico, que cometeu muitos erros nos ataques. O forte calor foi um adversário extra e bastante duro no confronto. Mais uma vez com sensação de 40 graus na quadra.

Após fazer história no feminino, garantindo sua dupla na semifinal, a Letônia repetiu a dose com os homens. Plavins e Tocs enfrentam os noruegueses Mol e Sorum por vaga na decisão. Já os brasileiros voltam para casa com sentimento que podiam ir além se tivessem um pouco mais de concentração, como eles mesmo definiram o motivo para a queda.

Se diante de Evandro e Bruno Schmidt os letões tiveram muita tranquilidade da decisão na rede desde o início, desta vez Alison foi logo parando um ataque e mostrando que a história poderia ser diferente. Ótimo bloqueio como cartão de visitas. Os brasileiros abriram dois pontos de vantagem até 6/4. Momento em que um ataque e erro de recepção de Álvaro proporcionaram o empate. Trocaram pontos até 9 a 9, momento em que Alison se impôs com ataque e bloqueio e novamente o Brasil abriu dois pontos: 11/9.

A vantagem para dar calma acabou rapidamente desaparecendo após pedido de tempo estratégico dos letões. Voltaram com a cabeça no lugar e viraram para 14 a 12 após dois erros de ataque de Alison. Depois de início muito bom, um momento delicado à dupla verde amarela. Sem acertar mais nada, viram a maior vantagem no set aparecer com 17 a 13.

O nervosismo na reta final acabou decisivo. Numa cortada para fora de Alison, os europeus comemoraram a vitória no primeiro set com 21 a 16. O saque não entrava e as largadas irritaram muito os brasileiros, sobretudo o camisa 1, responsável pelos bloqueios.

Jogando a sobrevida na partida, a dupla do Brasil equilibrou o começo do segundo set e trocava pontos, apesar da pouca vibração em quadra. Alison, ao virar as bolas, baixava a cabeça. Mostrava tristeza e cansaço. Os letões abriram 7 a 5.

Sem conseguir se acertar, os brasileiros chegaram a bater boca em um pedido de tempo. Necessitando ganhar o segundo set para levar a decisão ao tie-break, a dupla falhava acima do normal. Com 14 a 10 contra, os brasileiros já somavam 10 erros contra 3.

Um bloqueio de Alison diminuiu a vantagem para 17 a 16 e serviria para recolocar os brasileiros no set. Mas dois pontos seguidos dos europeus frustraram a boa recuperação. Alison salvou dois match points em bloqueios. Mas um toque na rede custou a derrota com 21 a 19.

"Fizemos um primeiro set igual, estávamos sempre na frente. Tivemos bola para abrir 12 a 9 e não conseguimos. Eles viraram para 14 a 12 e a gente não estava conseguindo se concentrar, errando muito. O sistema defensivo não funcionou e atrapalhou nos ataques", reclamou Alison.

Álvaro Filho, apesar de ser o mais vibrante na partida, optou por assumir os erros na eliminação. "Foi bacana nossa trajetória. Hoje não consegui ter tanta concentração no contra-ataque, saque e até no levantamento. Não consegui ajudar, mas a jornada é o que fica", disse, desolado.

Alison aproveitou o fato de o Brasil não ter mais representantes na disputa e pela primeira vez na história ficar fora do pódio, algo inédito para o vôlei de praia dono de 13 medalhas, para mandar um recado.

"As pessoas em casa vão olhar e ver que as duas duplas da Letônia estão nas semifinais e vão achar estranho. O mundo está investindo no vôlei de praia e nós, parados. Tem de melhorar, investir mais, a confederação olhar com bons olhos. Esperar um Ricardo e Emanuel, um Alisson e Emanuel não dá", desabafou Alison, que deixou o futuro em aberto da dupla e também se disputará outros Jogos.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Pesquisa: pessoas que seguem em home office têm salário e formação maiores

Mercado de trabalho
01:54 | Ago. 04, 2021
Autor Isabela Queiroz Especial para O POVO
Foto do autor
Isabela Queiroz Especial para O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Trabalhar em casa passou a ser a principal medida para cumprir decretos de isolamento social durante a pandemia de Covid-19 no ano passado e acelerou a tendência de trabalho no mercado. No entanto, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Datafolha, o regime de trabalho remoto caiu em 2021, permanecendo apenas em alguns segmentos.

Dentre os entrevistados na pesquisa Datafolha, 24% estão em home office. Destes, 48% possuem formação no ensino superior e 49% ganham mais de dez salários mínimos. Em relação a 2020, o número caiu 20 pontos percentuais, já que 44% dos entrevistados estavam em regime de trabalho remoto no ano passado.

Dentre os 76% dos entrevistados que não estão em home office em 2021, 96% têm formação até o ensino fundamental e 90% ganham até dois salários mínimos (ou R$ 2.200, em valores deste ano). Neste grupo, 54% relataram piora da situação financeira ao longo da pandemia. Essa percepção cai para 22% entre os que ganham mais de 10 salários mínimos.

Home office foi minoria entre trabalhadores, diz pesquisa

Ainda de acordo com o estudo, apenas 37% dos entrevistados esteve em regime de trabalho remoto em algum momento da pandemia. Destes, 61% têm ensino superior e 65% ganham de cinco a dez salários mínimos. Do total de quem trabalhou remotamente, 16% gostariam de retomar o presencial e 21% gostariam de manter o home office.

Dentre os entrevistados da pesquisa que estão em home office (24%), 11% acreditam que a prática irá diminuir e apenas 5% apostam em aumento das atividades remotas.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Felipe dos Santos fecha primeiro dia do decatlo entre 10 melhores

Esportes
01:46 | Ago. 04, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O destaque brasileiro no Estádio Olímpico na noite desta terça-feira (3), nas provas do atletismo na Olimpíada de Tóquio (Japão), foi o atleta Felipe dos Santos. No decatlo, ele participou dos 100 metros (m) rasos e fechou com 10s58, somando 956 pontos. No salto em distância, ele alcançou 7,38 m e adicionou outros 905 pontos.

Na terceira e última prova do dia, o arremesso de peso, ele anotou 14,13 m, somando mais 736 pontos, e encerrou o dia na nona posição.

Nos 110 m com barreiras, o Brasil teve dois representantes. Gabriel Constantino acabou a bateria em último com 13s89. Já Rafael Pereira ficou apenas em sexto na sua bateria, com o tempo de 13s62. Com essas marcas, a dupla verde e amarela foi eliminada.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags