PUBLICIDADE
Notícias

Categoria aceita propostas e greve dos rodoviários do Ceará deve acabar nesta sexta

Os rodoviários reivindicam reajuste salarial e em benefícios. A categoria está em greve há 14 dias

12:40 | 20/07/2018
NULL
NULL
[FOTO1]
Oficialmente em greve desde o último dia 7, os trabalhadores do transporte rodoviário do Ceará aceitaram as propostas das empresas, apresentadas por intermédio do Ministério Público do Trabalho (MPT). A à categoria foi realizada na manhã desta sexta-feira, 20. Reuniões foram realizadas simultaneamente no pátio da Rodoviária Engenheiro João Thomé, em Fortaleza, e na Rodoviária de Juazeiro do Norte. Os 12 pontos foram aprovados por unanimidade. Às 15 horas, reunião entre sindicatos laboral e patronal, mediada pelo MPT, deve marcar o fim da greve.
 
Assista: proposta é lida para trabalhadores:
[VIDEO1] 
 
Os rodoviários reivindicam reajuste salarial e aumento significativo em benefícios como vale alimentação e cesta básica. As tentativas de negociação se arrastam entre os sindicatos há aproximadamente quatro meses.
 
[SAIBAMAIS] 
As empresas tentaram "obrigar" trabalhadores a assinarem termo aditivo com alterações nas condições de trabalho, conforme denunciou o Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Transporte Rodoviário de Passageiros Intermunicipal e Interestadual do Estado (Sinteti).

Uma das propostas é a redução da carga horária, o que cortaria até 50% dos salários de alguns profissionais. Na proposta do MPT, todavia,  há limitação da carga horária de 24 horas a 10 motoristas e 10 cobradores, por empresa, em linhas de até 120 km distante do ponto de partida. A prioridade de contratação para esta jornada é para aposentados e profissionais com segundo emprego comprovado.
 
Recontratações, demissões e novos postos de trabalho devem ser acompanhados pelo sindicato laboral, conforme a proposta do órgão ministerial. 
 
%2b A greve prejudicou a circulação de linhas interestaduais e intermunicipais. Por dia, eram 160 ônibus a menos nas estradas, em média.
 
Outras reivindicações 
Os aumentos propostos em negociação com as empresas, no dia 15 de junho, foram revistos. O reajuste salarial era de 1,69% e aumento de R$ 0,22 no vale alimentação. Pelo acordo, o reajuste deve ficar em 3%, com aumento de R$ 1 no vale alimentação diário (subindo de R$ 13 para R$ 14) e R$ 10 na cesta básica, que fica em R$ 135.
 
Carlos Jefferson Martins, presidente do Sinteti, salienta ainda que os direitos dos trabalhadores da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) anterior devem permanecer.
 
"São várias vitórias para a categoria. O pagamento no quinto dia útil, a manutenção do passe livre e das horas extras; e a jornada de trabalho também não vai ser intermitente", comemora Jefferson.

O Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Intermunicipal e Interestadual do Ceará (Sinterônibus) informou que só irá se posicionar após a reunião com o MPT.
 
TAGS
Categoria aceita propostas e greve dos rodoviários do Ceará deve acabar nesta sextaNotícias de Economia
PUBLICIDADE
Notícias

Categoria aceita propostas e greve dos rodoviários do Ceará deve acabar nesta sexta

Os rodoviários reivindicam reajuste salarial e em benefícios. A categoria está em greve há 14 dias

12:40 | 20/07/2018
NULL
NULL
[FOTO1]
Oficialmente em greve desde o último dia 7, os trabalhadores do transporte rodoviário do Ceará aceitaram as propostas das empresas, apresentadas por intermédio do Ministério Público do Trabalho (MPT). A à categoria foi realizada na manhã desta sexta-feira, 20. Reuniões foram realizadas simultaneamente no pátio da Rodoviária Engenheiro João Thomé, em Fortaleza, e na Rodoviária de Juazeiro do Norte. Os 12 pontos foram aprovados por unanimidade. Às 15 horas, reunião entre sindicatos laboral e patronal, mediada pelo MPT, deve marcar o fim da greve.
 
Assista: proposta é lida para trabalhadores:
[VIDEO1] 
 
Os rodoviários reivindicam reajuste salarial e aumento significativo em benefícios como vale alimentação e cesta básica. As tentativas de negociação se arrastam entre os sindicatos há aproximadamente quatro meses.
 
[SAIBAMAIS] 
As empresas tentaram "obrigar" trabalhadores a assinarem termo aditivo com alterações nas condições de trabalho, conforme denunciou o Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Transporte Rodoviário de Passageiros Intermunicipal e Interestadual do Estado (Sinteti).

Uma das propostas é a redução da carga horária, o que cortaria até 50% dos salários de alguns profissionais. Na proposta do MPT, todavia,  há limitação da carga horária de 24 horas a 10 motoristas e 10 cobradores, por empresa, em linhas de até 120 km distante do ponto de partida. A prioridade de contratação para esta jornada é para aposentados e profissionais com segundo emprego comprovado.
 
Recontratações, demissões e novos postos de trabalho devem ser acompanhados pelo sindicato laboral, conforme a proposta do órgão ministerial. 
 
%2b A greve prejudicou a circulação de linhas interestaduais e intermunicipais. Por dia, eram 160 ônibus a menos nas estradas, em média.
 
Outras reivindicações 
Os aumentos propostos em negociação com as empresas, no dia 15 de junho, foram revistos. O reajuste salarial era de 1,69% e aumento de R$ 0,22 no vale alimentação. Pelo acordo, o reajuste deve ficar em 3%, com aumento de R$ 1 no vale alimentação diário (subindo de R$ 13 para R$ 14) e R$ 10 na cesta básica, que fica em R$ 135.
 
Carlos Jefferson Martins, presidente do Sinteti, salienta ainda que os direitos dos trabalhadores da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) anterior devem permanecer.
 
"São várias vitórias para a categoria. O pagamento no quinto dia útil, a manutenção do passe livre e das horas extras; e a jornada de trabalho também não vai ser intermitente", comemora Jefferson.

O Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Intermunicipal e Interestadual do Ceará (Sinterônibus) informou que só irá se posicionar após a reunião com o MPT.
 
TAGS