PUBLICIDADE
Notícias

Alta do dólar e quebra de safra de trigo na Argentina deixam pães mais caros no Ceará

Preço de bolos, massas e biscoitos também será afetado; indústria diz que aumento é inevitável

23:13 | 23/05/2018
NULL
NULL
[FOTO1]A quebra da safra de trigo na Argentina e a alta do dólar contribuem para o aumento do preço dos derivados do trigo, que está aproximadamente 10% mais caro desde o início do mês de maio, conforme Sindicato da Indústria de Panificação e Confeitaria do Ceará (Sindipan). 
 
O presidente do sindicato, Angelo de Oliveira, explica que a elevação do valor do trigo já chegou nas padarias do Ceará, que estão cobrando 10% mais caro nos produtos derivados do cereal. Ele diz que, até o final de maio, a tendência é que todas as panificadores do Estado reajustem os preços, na medida em que tiverem que repor seus estoques de farinha.

A última safra de trigo da Argentina, principal exportador do cereal para o Brasil, foi prejudicada pela seca no país, sofrendo redução de 50%. Com a valorização do produto na Argentina, as indústrias brasileiras precisaram buscar novos mercados, como Estados Unidos e Canadá.

O problema é que, nesses países, o preço do frete e a Tarifa Externa Comum (TEC) de 10% - que não é aplicada aos países do Mercosul, caso de Argentina e Brasil - encarecem o trigo importado.

Além disso, a moeda norte-americana, na qual o trigo é cotado no mercado internacional já variou de R$ 3,20 a R$ 3,73, de março a maio deste ano. A alta contribui para o aumento do preço da farinha que vai para as padarias.


Redação O POVO Online 
TAGS