PUBLICIDADE
Notícias

Produção industrial no Ceará cresce 1,4% no acumulado de 2017

Os dados do levantamento são referentes ao mês de agosto. Segundo a pesquisa, no comparativo com agosto de 2016, a indústria cearense expandiu 4,6%

11:06 | 10/10/2017
NULL
NULL

[FOTO1]A produção industrial no Ceará apresentou alta de 1,4%, no acumulado do ano até o mês de agosto, de acordo com dados divulgados nesta terça-feira, 10, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na média nacional, a indústria brasileira cresceu 1,5% nos oito meses de 2017. Os números são referentes à série com ajuste sazonal.

 

Conforme a pesquisa, no Ceará e nas outras localidades brasileiras onde a indústria teve alta no período, o resultado foi influenciado pela expansão na fabricação de bens de capital (em especial aqueles voltados para o setor agrícola, transportes e para construção); de bens intermediários (minérios de ferro, petróleo, celulose, siderurgia, açúcar e derivados da extração da soja); de bens de consumo duráveis (automóveis e eletrodomésticos da “linha marrom”); e de bens de consumo semi e não-duráveis (calçados, produtos têxteis e vestuário).

 

No entanto, considerando apenas o mês de agosto em relação ao mês de julho, a indústria cearense retraiu 0,1%, enquanto nos números nacionais, a queda foi de 0,8%.

 

O melhor resultado no balanço do IBGE aparece na comparação de agosto deste ano com o mesmo mês de 2016. Neste comparativo, a produção industrial do Ceará teve alta de 4,6%. Na mesma relação, o índice nacional subiu 4%.

 

Já no acumulado dos últimos 12 meses, a indústria local apresentou retração de 0,4%. No âmbito nacional, a queda foi de 0,1%.

 

Nordeste

 

A pesquisa também revelou os dados para a Região Nordeste. No acumulado de 2017 até agosto, a produção da indústria nordestina recuou 1%. No comparativo de agosto com o mês de julho deste ano, o índice apresentou alta de 0,4%.

 

Já na comparação com agosto do ano passado, a indústria da região expandiu 1,7%. E no acumulado dos últimos 12 meses, a produção industrial nordestina caiu 1,2%.

 

 

Redação O POVO Online

TAGS