PUBLICIDADE
Notícias

Atividade econômica no Ceará avança 1,47% em julho

De acordo com os dados do Banco Central, a média cearense para julho ficou acima do índice nacional e do resultado do Nordeste, no comparativo com o mesmo mês de 2016

15:15 | 15/09/2017
NULL
NULL
[FOTO1]A economia do Estado do Ceará avançou 1,47% no último mês de julho, no comparativo com o mesmo período de 2016, de acordo com os dados do Índice de Atividade Econômica Regional do Ceará (IBCR-CE), divulgados na última quinta-feira, 14, pelo Banco Central (BC). A média cearense para julho ficou acima do índice nacional e do resultado para a Região Nordeste, 1,41% e 0,9%, respectivamente.

O IBCR-CE é levado em conta como a prévia do resultado oficial do Produto Interno Bruto (PIB). Ainda sobre os dados do BC, a atividade econômica do Estado cresceu 2,27% na comparação entre os trimestres encerrados em abril e julho deste ano. No resultado oficial do PIB, divulgado na última terça-feira, 12, pelo Ipece e IBGE, o índice cresceu 1,33% no segundo trimestre do ano em relação aos três meses encerrados em março.

Já na comparação de julho com junho passado, a economia cearense avançou 0,45%, enquanto o Nordeste teve crescimento de 0,15%, conforme ainda os dados do BC. No acumulado do ano, dos sete meses, o índice cresceu 0,86% e no resultado dos últimos 12 meses, a alta foi de 2,15%. Nos dados do Ipece e IBGE divulgados nesta semana, o PIB oficial do Estado aumentou 0,77%, no acumulativo até junho.

Vale destacar que nos resultados oficiais do PIB nesta semana, durante os meses de abril, maio e junho, o setor agropecuário foi o índice de maior relevância. Na relação com o segundo trimestre de 2016, a agropecuária cearense cresceu 41,26%, enquanto na média nacional a alta foi de apenas 14,9%. Já o setor de serviços avançou 0,13%. 

Para o economista e vice-presidente do Conselho Regional de Economia do Ceará (Corecon-CE), Ricardo Eleutério, a avaliação dos dados recentes da economia cearense é positiva. Ele acredita que tanto o Estado quanto o País vivem um momento similar de retomada do crescimento. Porém, o especialista afirma que esse crescimento será gradual e lento.

"São muitas variáveis que influenciam nessa retomada da economia para o Ceará. É preciso haver a volta dos investimentos, tanto por parte dos empresários, quanto pelo setor público. Esses investimentos não voltarão agora, em um momento de retomada lenta, mas sim quando a economia estiver mais estável e a retomada consolidado. Vale destacar ainda que o cenário político pode mudar a trajetória desse crescimento. O ambiente político estadual é estável, mas a esfera nacional ainda é de muitas incertezas", afirma.

Sobre o crescimento da agropecuária, o economista ressalta que o segmento representa apenas 5% do PIB estadual e que o setor de serviços que ainda tem um peso maior. “O setor de serviços representa 70% do incremento à economia local. Para a atividade econômica nacional também representa o maior peso. O crescimento de 0,13% desse setor foi bom, mas espera-se que cresça ainda mais pelo o que representa. De toda forma, o saldo de crescimento da agropecuária é bastante positivo.”
TAGS