PUBLICIDADE
Notícias

65,8% dos consumidores fortalezenses estão endividados, aponta pesquisa

De acordo com o levantamento, o tempo médio de atraso é de 64 dias e a principal justificativa para a inadimplência é a diferença entre a renda e os gastos correntes

12:11 | 07/06/2017
NULL
NULL
[FOTO1]Neste mês de junho, 65,8% dos consumidores de Fortaleza possuem algum tipo de dívida, de acordo com pesquisa divulgada nesta quarta-feira, 7, pela Federação do Comércio do Estado do Ceará (Fecomercio-CE). O índice caiu 1,6% em relação os dados do último mês de maio. Em junho de 2016, o índice era de 73,8%.
 

Segundo a pesquisa, os consumidores apontam o desequilíbrio financeiro como um dos principais motivos de dificuldade em quitar as dívidas. O levantamento aponta que os problemas financeiros afetam mais as mulheres, 23% das entrevistadas afirmaram possuir contas em atraso. Já os consumidores do grupo com idade ente 25 e 34 anos (25,9%) e da parcela com renda familiar abaixo de cinco salários mínimos (23,3%).
 

De acordo com o  levantamento, o tempo médio de atraso é de 64 dias e a principal justificativa para a inadimplência é a diferença entre a renda e os gastos correntes – citado por 60,2% dos consumidores. O segundo motivo mais citado é o adiamento por conta do uso dos recursos em outras finalidades, com 35,3%,seguido da contestação da dívida (7,0%).
 

A pesquisa mostra que os meios de crédito mais utilizados pelos consumidores são: cartões de crédito, citados por 80,1% dos entrevistados; financiamento bancário (veículos, imóveis etc.), com 11,6%; empréstimos pessoais, com 10,2%; e carnês e crediários, com 8,2%.
 
 
Ainda conforme dados do levantamento, o fortalezense utilizou o crédito para consumo de itens de alimentação (56,4% das respostas); aquisição de eletroeletrônicos (34,0%); compra de artigos de vestuário (33,8%); e realização de despesas de educação e saúde (33,6%). O valor médio das dívidas dos consumidores da Capital é estimado em R$ 1.306, com prazo médio de sete meses, o que compromete 35,1% da renda pessoal, segundo os dados do estudo.
 

O estudo ainda traçou o perfil do potencial consumidor inadiplente em Fortaleza. De acordo com a Fecomercio-CE, a inadimplência é maior no grupo de consumidores do sexo masculino (inadimplência potencial de 9,6%), com idade acima de 35 anos (10,5%) e renda familiar inferior a cinco salários mínimos (9,3%).
 
 
 
Redação O POVO Online 
TAGS