PUBLICIDADE
Notícias

Obra para instalação de cabo submarino de fibra óptica está 50% concluída

A companhia construirá um Data Center, na Praia do Futuro, em Fortaleza, e fará a instalação de um cabo submarino de fibra óptica que ligará Santos à Fortaleza e Miami, nos Estados Unidos, denominado Monet

15:10 | 23/02/2017
A Angola Cables, companhia global de telecomunicações, concluiu 50% da instalação um cabo submarino de fibra óptica que ligará a capital angolana Luanda à Fortaleza, o South Atlantic Cable System (Sacs). A empresa afirma que encerrou na última semana o mapeamento do trajeto e solo onde o cabo será instalado em alto mar, uma das etapas mais importantes do empreendimento.

O processo levou quase dois meses e exigiu a participação de 50 técnicos a bordo de um navio especializado em fazer o escaneamento do solo marítimo. Segundo Clementino Fernando, técnico da Angola Cables, as informações resultantes desse estudo ajudarão na escolha dos repetidores de sinal do cabo, assim como na definição da potência de cada um deles. Com extensão superior a 6.200 quilômetros, o Sacs será o primeiro cabo de fibra óptica que ligará a África às Américas via o Atlântico Sul.

“Os três empreendimentos da Angola Cables no Brasil estão avançando de forma consistente. O cabo submarino Monet, por exemplo, já foi todo instalado e colocado no mar, sendo que neste momento estamos trabalhando nas conclusões das estações do projeto em Santos (SP) e Miami, nos Estados Unidos”, disse António Nunes, CEO mundial da Angola Cables durante o Fórum Futuro, realizado este mês em Angola, pelo Ministério da Ciência e Tecnologia, com o patrocínio da Angola Cables e que contou com vários convidados de redes de ensino internacionais como a RNP e Clara.

Além do cabo Sacs, a empresa conta ainda com outros dois investimentos no País, que incluem a construção de um Data Center, na Praia do Futuro, em Fortaleza, e a instalação de um cabo submarino de fibra óptica que ligará Santos à Fortaleza e Miami, nos Estados Unidos, denominado Monet. Ao todo, os três empreendimentos estão orçados em 300 milhões de dólares, sendo que no Monet, a empresa conta também com as participações do Google, Algar Telecom e Antel.
 
Redação O POVO Online 
TAGS