PUBLICIDADE
Notícias

Cabo Monet chega a Fortaleza na próxima segunda-feira

A estrutura integra o projeto da Angola Cables, estimado em US$ 300 milhões, que pode transformar Fortaleza em um hub internacional de telecomunicações

18:49 | 09/09/2016

O cabo Monet, que interligará com fibra óptica as cidades de Fortaleza, Santos (São Paulo) e Miami (Estados Unidos), chega na próxima segunda-feira, 12, em Fortaleza. A estrutura integra o projeto da Angola Cables, estimado em US$ 300 milhões, que pode transformar Fortaleza em um hub internacional de telecomunicações.


Além do Monet, realizado pela multinacional angolana em parceria com Google, Antel (Uruguai) e Algar Telecom (Brasil), o projeto inclui ainda a implementação de um Data Center de três mil metros quadrados na Praia do Futuro; a instalação de um segundo cabo submarino South Atlantic Cable System (SACS) que interligará o Brasil à África; e a construção de duas estações terrestres que acolherão os dois cabos submarinos.


No caso específico do cabo Monet, o primeiro sistema a ser concluído, o investimento estimado é de US$ 110 milhões. O evento de segunda-feira, que contará com a presença de autoridades do Estado, interligará a ponta do cabo que sairá do alto mar com a ponta que seguirá, a partir do Beach Man Hole (BMH) à estação terrestre que acolherá o cabo.


O CEO da Angola Cables no Brasil, Rafael Pistono, explica que esta etapa representa um grande passo para o projeto, na medida em que contempla a finalização da etapa no mar cearense. Com rota de mais de 10 mil km e capacidade de comunicação de pelo menos 60 Tbps, em seis pares de fibra – sendo duas da Angola Cables, a expectativa é de que o sistema comece a operar no primeiro semestre de 2017.


No próximo mês inicia a construção das estações operacionais e do Data Center. Já os equipamentos que integram o cabeamento da SACS serão importados do Japão no segundo semestre de 2017.


Pistono explica que toda infraestrutura que está sendo desenvolvida em Fortaleza tornará o acesso aos conteúdos digitais mais rápidos e com custos menores, na medida em que passará a estar bem mais próxima do consumidor brasileiro. “A velocidade de latência é inferior a 110 milisegundos, o que bate todos os concorrentes do mercado na rota em aproximadamente 30 a 40 milisegundos. A gente já reduz bruscamente e traz uma tecnologia com custo operacional mais simplificado e mais barato”.

Sobre a Angola Cables

A Angola Cables é uma empresa de telecomunicações, fundada em 2009, tendo como acionistas as principais operadoras de telecomunicações angolanas. A companhia dedica-se à comercialização de capacidade em circuitos internacionais de voz e dados por cabos submarinos de fibra óptica.

TAGS