PUBLICIDADE
Notícias

Sinduscon-SP não espera mudanças econômicas no curto prazo

10:40 | 18/04/2016
O presidente do Sindicato da Construção de São Paulo (Sinduscon-SP), José Romeu Ferraz Neto, disse que a perspectiva de uma troca de governo não traz mudanças econômicas de curto prazo, uma vez que "ainda há um longo caminho a ser percorrido". Para o executivo, é elevada a probabilidade de o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) ser aprovado no Senado, após votação favorável ao processo na Câmara.

Seja com a gestão atual ou numa nova administração, o executivo pediu reformas estruturais, como o ajuste fiscal e mudanças na fórmula previdenciária. Será importante observar, de acordo com Ferraz Neto, as declarações futuras do atual vice-presidente Michel Temer (PMDB), que pode assumir o cargo de Dilma no caso de impeachment. Os comentários do peemedebista devem trazer direcionamento para as expectativas da população.

"Temos de olhar como Temer planeja trabalhar com ajuste fiscal, corte de despesas, mudanças no sistema previdenciário e trabalhista. Se ele focar esforços nesses pontos, temos chance de ter uma perspectiva melhor para frente", afirmou o executivo. O presidente do Sinduscon-SP disse que espera uma mudança de atitude frente ao governo atual, que se concentrava demasiadamente em aumento de impostos.

Ferraz Neto ressaltou ainda que o foco da entidade reside nas propostas, e não nos interlocutores. "Se as propostas forem positivas, ótimo, mas se não forem, teremos de buscar outras soluções", afirmou. Por enquanto, ele não espera grandes mudanças em termos de lançamentos ou vendas imobiliárias, o que deve passar a ocorrer no caso de recuperação da economia e ajustes nas contas públicas.

TAGS