PUBLICIDADE
Notícias

Perspectiva para crescimento no exterior esmoreceu nos últimos meses, diz Fed

16:00 | 06/04/2016
A perspectiva para o crescimento da economia no exterior piorou nos últimos meses e deu suporte à decisão do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) de manter inalterada a taxa básica de juros na reunião de março. É o que revela a ata da reunião de política monetária da reunião do mês passado, divulgada nesta quarta-feira.

O documento mostra que muitos participantes reconheceram que as condições econômicas se deterioraram em relação a dezembro, quando o Fed decidiu elevar os juros pela primeira vez desde 2006. "Muitos participantes expressaram a opinião de que a situação global da economia e das finanças ainda traziam riscos consideráveis ao cenário doméstico".

A ata mostra uma preocupação maior em relação à desaceleração global do que transpareceu no comunicado de política monetária de março. Isso significa que o Fed pode adotar uma postura ainda mais "dovish", favorável a uma normalização mais lenta da política monetária, do que o inicialmente entendido.

Apenas dois dirigentes foram favoráveis a uma elevação dos juros em março. Uma é Esther George, presidente da regional de Kansas City. O outro não foi identificado.

Autoridades também demonstraram preocupação com os riscos de que a economia e a inflação possam apresentar performance abaixo do estimado. Oito dos 17 dirigentes disseram que os riscos à economia pendiam mais para o lado negativo, enquanto nove disseram que estes riscos estavam equilibrados e nenhum indicou que a economia poderia superar a expectativa. Em relação à inflação, onze dos 17 dirigentes também viam risco de que ela pudesse vir abaixo das projeções, enquanto nenhum via chance de ela superar as estimativas.

Como resultado, houve forte consenso em relação ao plano de fazer um ajuste mais gradual dos juros. "A visão sobre uma trajetória menos inclinada dos federal funds em relação ao estimado em dezembro foi amplamente compartilhada entre os participantes da reunião, especialmente para os dois primeiros anos das previsões", diz a ata. Fonte: Dow Jones Newswires.

TAGS