PUBLICIDADE
Notícias

Portugal é o país que mais investe em turismo no Ceará

Investimentos estrangeiros no Brasil - e no Ceará - são força motriz para economia em tempos de crise. Portugal é o país que mais investe em turismo no Estado

18:30 | 19/02/2016
O Brasil recebeu R$ 60 bilhões em investimentos de capital estrangeiro durante o ano de 2015. O dado foi utilizado pelo 1º vice-presidente da Câmara Brasil-Portugal (CBP), Rômulo Alexandre, para ilustrar afirmação de que no momento de instabilidade financeira é preciso aproveitar o mercado doméstico. E investir nisso. Com dólar na casa dos R$ 4 e euro a quase R$ 4,50, ele aposta que, para exportações, o câmbio atual é um fator que conta a favor do País. "O dólar alto e o euro alto reduzem o preço dos ativos no Brasil. Assim, o investidor em moeda estrangeira pode fazer mais negócios. O dólar vale mais para ele", resume.

Rômulo participou, ontem, do projeto "Café & Negócios", realizado na sede da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec). Com o intuito de estimular o investimento estrangeiro no Estado e no País, o evento foi articulado pela Câmara de Comércio Brasil-Portugal no Ceará, para facilitar o entrosamento empresarial e divulgar informações estratégicas entre os participantes. "Nosso objetivo é retomar as atividades associativas da Câmara e promover redes de relacionamento empresarial", define. Ao longo do ano de 2016, outros eventos semelhantes serão abertos ao público empresarial de Fortaleza, como o "Café & Negócios", que começou ontem e acontecerá em formato de encontros bimensais.

O que a Câmara quer discutir é o papel vital que, hoje, os estrangeiros têm na economia cearense. O vice-presidente da entidade ressalta que a forte presença de investimentos portugueses no Estado é uma sinalização positiva neste cenário de crise. "A maior térmica do Ceará é portuguesa (a EDP Energias do Brasil). No turismo, os portugueses também estão muito presentes, como o Aquiraz Riviera e o Hotel Vila Galé". Atualmente, Portugal é o principal investidor na indústria turística do Ceará, estando presente, ainda, em carcinicultura, indústria têxtil, fontes de energia eólica, vinicultura e fruticultura.

“Mas a crise é temporária. Não existe crise permanente, assim como não existe céu de brigadeiro permanente", acredita. Para ele, o Estado precisa se preparar e explorar seus principais vetores de crescimento, como o do turismo, que tem apresentado qualificações na área e movimenta 54 setores da economia - que podem ser desde o de colchões, passando pelo da construção civil e da gastronomia. “Com o problema do câmbio, mais brasileiros vão viajar dentro do próprio País, mais pessoas vêm para o Estado", assinala.

Armando Abreu, presidente da Câmara Brasil-Portugal no Ceará, considera que, mesmo no momento em que a conjuntura politica e econômica do Brasil está difícil, há espaço e demanda para a exportação de produtos e serviços, além do interesse estrangeiro no País. "Temos fomentado o contato das empresas cearenses com Portugal e há casos de sucesso". Ele cita o case da empresa de Tecnologia da Informação (TI), comunicação e marketing, Additive. "Ela faz parte da propaganda do Castelão e tem filiais em Belo Horizonte e Salvador", lembra. "Há grandes oportunidades e mais empresas portuguesas no Ceará e menos cearenses lá fora. Por motivos óbvios".

Nova vice-consulesa
Desde setembro do ano passado, o consulado de Portugal no Ceará está sem um vice-cônsul, deixando, assim, relações de investimento entre comunidades portuguesa e cearense prejudicadas. Todavia, segundo adianta o presidente da CBP-CE, a nova vice-consulesa será Ana Cristina Pedroso, nomeada recentemente para assumir o cargo pelos próximos dois anos. A expectativa, agora, é que a nomeação seja publicada no Diário Oficial de Portugal, pois, só depois disto, ela poderá, efetivamente, atuar. Armando explica ainda que, desde que o ex-vice-cônsul Francisco Brandão foi transferido da capital cearense para Belém (PA), houve uma série de fatores que impediram a ágil decisão por uma nova nomeação, como as eleições legislativas em Portugal, no mês de outubro.

Saiba mais
Para o fim de 2016, uma missão agrícola de negócios está sendo articulada, para levar um grupo de empresários que atua no setor a Portugal. O objetivo, segundo o presidente da Câmara Braisil-Portugal no Ceará, Armando Abreu, é que os investidores cearenses possam trocar experiências com os lusitanos e, assim, abrir novas possibilidades e perspectivas de investimento
TAGS