PUBLICIDADE
Notícias

Brasil será o 10º maior cotista do FMI, segundo Banco Central

10:04 | 22/02/2016

O Brasil vai subir quatro posições, passando a ser o 10º maior cotista do Fundo Monetário Internacional (FMI). Segundo informou o Banco Central (BC) brasileiro nesta segunda-feira, 22, isto acontece a partir da integralização do aumento de cota do Brasil no FMI, realizada na semana passada. Esse aumento se deu no âmbito da 14ª Revisão Geral de Quotas.

Ao final do processo de integralização de cotas por partes dos países membros, a ser concluído nas próximas semanas, a participação no total das quotas do Brasil no organismo subirá de 1,78% para 2,32%.
 
De acordo com o BC, a 14ª Revisão Geral de Quotas foi resultado de uma longa negociação que se deu no período pós-crise de 2008 e culminou em um acordo em 2010, visando dobrar os recursos regulares do FMI, assim como aumentar a participação relativa das economias emergentes e em desenvolvimento dinâmicas.
 
Entre os países que mais aumentarão a participação estão os BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China), que passarão a figurar entre os dez maiores quotistas do Fundo e, conjuntamente, somarão 14,2% em quotas (ou 13,5% em poder de voto) do FMI. O resultado líquido do aumento de cotas não afeta o nível das reservas internacionais do Brasil.

Redação O POVO Online

TAGS