PUBLICIDADE
Notícias

Para UIT, Brasil tem tarifa mais elevada do mundo

Sindicato nacional das empresas de telefonia contesta relatório e diz que a UIT considera apenas os preços de tabela, sem levar em consideração o preço efetivamente praticados no País

16:28 | 25/11/2014
A União Internacional das Telecomunicações (UIT) divulgou na segunda-feira (24), seu relatório anual Medindo a Sociedade da Informação e, a exemplo de anos anteriores, a entidade considera que o Brasil tem a cesta de serviços de telefonia móvel mais cara do mundo. Para contestar o relatório, o Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (Sinditelebrasil) contratou a consultoria Teleco para elaborar um estudo sobre os preços praticados no País.

Para o Sinditelebrasil, “a metodologia da UIT não considera a realidade brasileira, que tem uma infinidade de planos e promoções, o que reduz o preço do minuto.” De acordo com o sindicato, o preço médio do minuto do celular no Brasil é de cerca de US$ 0,07, o que representa 13% do preço apontado pelo levantamento da UIT.

De acordo com o sindicato, o estudo da Teleco revelou que o minuto do celular no Brasil é o quarto mais barato do mundo, considerando um grupo de 18 países, que concentram 57% dos telefones celulares do mundo, atrás apenas da China, Índia e Rússia. Segundo o presidente do Sinditelebrasil, Ricardo Levy, a discrepância acontece porque a UIT considera os planos homologados na Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), com os valores máximos que as empresas podem cobrar e não os preços efetivamente praticados.

Carlos Duprat, diretor do Sinditelebrasil diz que outro fator que a UIT não leva em consideração, é que cerca de 90% do tráfego da telefonia móvel brasileira se dá entre celulares da mesma companhia (on net), o que reduz significativamente o preço do minuto, e que isso não elevado em consideração pela UIT. “A média  de ligações on net nos demais países pesquisados é de 50%”, ele diz.

Carga tributária
O estudo da Teleco mostra que os tributos têm um peso significativo nos preços da telefonia móvel no Brasil. De acordo com o levantamento, o Brasil tem a maior carga tributária entre os 18 países pesquisados. Os tributos no Brasil representam 43% da receita líquida, quase o dobro do segundo colocado, que é a Argentina (26%) e 14 vezes maior que os da China (3%).
Redação O POVO Online
TAGS