PUBLICIDADE
Notícias

Exportação de petróleo se deve a aumento de produção

17:00 | 01/08/2014
O aumento da exportação de petróleo em julho se deve ao aumento da produção e ao excedente de estoque, segundo o diretor do Departamento de Estatística e Apoio à Exportação do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Roberto Dantas.

"Está havendo aumento de produção. A produção de petróleo cresceu mais de 9% em maio de 2014 ante maio de 2013", disse. Dantas acrescentou que o crescimento da exportação não ocorre apenas devido à atividade da Petrobras. "É importante informar que não é apenas o principal exportador que está aumentando. Outros produtores de petróleo também aumentaram suas exportações", disse. "Havia um excedente de estoque que fez com que o mês de julho houvesse aumento elevado", completou. A exportação de petróleo em bruto somou US$ 2,6 bilhões no mês passado, o que representa uma alta de 276% na comparação com julho de 2013.

Conta

Dantas informou também que o déficit da chamada conta-petróleo foi de US$ 9,937 bilhões de janeiro a julho de 2014. O saldo negativo é US$ 5,06 bilhões menor que no mesmo período do ano passado. "A conta-petróleo é responsável pela redução do déficit comercial esse ano, mas ainda impacta de forma relevante o resultado da balança", disse.

O diretor afirmou que o aumento das exportações de petróleo em bruto em julho foi explicado por aumento da produção e das exportações por outros produtores de petróleo, que não apenas a Petrobras. "De sete petroleiras, seis aumentaram as exportações", disse. Segundo ele, essas empresas aproveitaram "oportunidades comerciais" para embarcarem os estoques.

Ele destacou que os preços internacionais estão em tendência de alta. Dantas disse que, no entanto, não é esperado que haja aumento das exportações nos próximos meses no mesmo ritmo de julho.

Produção

Dantas falou também que o Brasil continuará importando petróleo e derivados, mas em menor volume que no ano passado. "Nossa produção não será autossuficiente a curto e médio prazos. Estamos tendo aumento de consumo de combustíveis, então tem que continuar importando, mas não no mesmo volume do ano passado", disse.

TAGS