PUBLICIDADE
Notícias

Produção industrial recua em 15 de 24 setores

09:50 | 02/07/2014
A produção industrial recuou em 15 dos 24 ramos investigados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na passagem de abril para maio. As principais influências negativas para o total nacional foram registradas pelas atividades de coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis, com queda de 3,8%, e de veículos automotores, reboques e carrocerias, com recuo de 3,9%. No período, a indústria geral teve uma retração de 0,6%, a terceira queda consecutiva.

 

Em maio, o setor de derivados de petróleo eliminou parte do avanço de 6,2% registrado entre fevereiro e abril. Já a atividade de veículos apontou o terceiro recuo consecutivo, acumulando redução de 10,8% nos últimos três meses.

 

Outras contribuições negativas para as perdas da indústria em maio foram de metalurgia (-4,0%), equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (-5,0%), máquinas, aparelhos e materiais elétricos (-2,1%), móveis (-4,4%) e produtos de borracha e de material plástico (-1,4%).

 

Na direção oposta, registraram avanço significativo na produção as indústrias extrativas (1,4%), produtos alimentícios (1,0%) e produtos do fumo (18,5%).

 

Bens de capital

 

De acordo com os dados da Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física (PIM-PF) do IBGE, a produção da indústria de bens de capital caiu 2,6% em maio ante abril. Na comparação com maio de 2013, o indicador mostra queda de 9,7%. No acumulado de janeiro a maio de 2014, houve queda de 5,8% na produção de bens de capital. Já no acumulado em 12 meses, houve recuo de 4,1%.

 

Em relação aos bens de consumo, a pesquisa registrou queda de 0,3% na passagem de abril para maio. Na comparação com maio do ano passado, houve recuo de 2,2%. No acumulado do ano, a queda é de 0,1%, enquanto a taxa em 12 meses é de 1,1%.

 

Na categoria de bens de consumo duráveis, o mês de maio foi de queda de 3,6% ante abril, e retração de 11,2% em relação a maio de 2013. Entre os semiduráveis e os não duráveis, houve aumento na produção industrial de 1,0% em maio ante abril, e avanço de 0,8% na comparação com maio do ano passado.

 

Para os bens intermediários, o IBGE informou que o indicador teve queda de 0,9% em maio ante abril. Em relação a maio do ano passado, houve recuo de 2,8%. No acumulado de janeiro a maio, o instituto observou queda de 1,8%, enquanto a taxa em 12 meses ficou em -0,8%.

 

O IBGE revelou ainda que o índice de Média Móvel Trimestral da indústria recuou 0,5% em maio ante abril. No mês anterior, a média móvel tinha sido de -0,3%.

TAGS