PUBLICIDADE
Notícias

Em recado, PMDB barra nomes ligados a Dilma para a Aneel

22:00 | 16/07/2014
No início da corrida eleitoral, a cúpula do PMDB decidiu dar um recado de insatisfação com a presidente Dilma Rousseff e, numa articulação, aprovou em plenário apenas o nome de um dos três indicados pelo governo para ocupar a diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Em votação secreta, por 41 votos a favor e oito contra, os senadores concordaram em reconduzir para mais um mandato André Pepitone, que está no órgão desde 2010 e é ligado ao PMDB.

Contudo, os parlamentares não apreciaram a recondução de Romeu Rufino para o cargo de diretor-geral nem de Tiago de Barros Correia, para assumir pela primeira vez um cargo na Aneel. Nos bastidores, os dois nomes são alinhados com Dilma. O nome dos três foi aprovada na manha desta quarta-feira em votações tranquilas na Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) do Senado, reunião tradicionalmente esvaziada.

Com a decisão, na prática a diretoria da agência vai funcionar com o quorum mínimo de votação, que é de três dos cinco diretores. As próximas sessões de votação do plenário do Senado, nas quais podem ser apreciadas as indicações, estão marcadas para os dias 5 e 6 de agosto e o mandato de Rufino à frente da Aneel se encerra uma semana depois, no dia 13. Não há previsão de que a indicação de Rufino ou de Correia vão à votação no mês que vem.

Nos bastidores, parlamentares afirmaram reservadamente à reportagem do Broadcast Político, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, que há também uma disputa interna dentro do PMDB pelas indicações da Aneel. O ministro das Minas e Energia, o peemedebista Edison Lobão, era favorável à aprovação dos três nomes de uma só vez.

Contudo, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e outros caciques do partido não queriam apoiar todas as indicações. Responsável por incluir as indicações na pauta, Renan, contudo, aquiesceu em liberar a votação do nome de somente um deles, Pepitone, para não atrapalhar o funcionamento da agência reguladora. (Colaborou Anne Warth)

TAGS