PUBLICIDADE
Notícias

SP fechou abril com mais endividados, diz a Fecomercio

12:10 | 05/05/2014
A proporção de famílias endividadas na cidade de São Paulo cresceu no mês de abril para 51,1% do total de domicílios. Depois de registrar queda por dois meses consecutivos, o índice estava em 48,4% em março, segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). Em abril de 2013, a proporção de famílias com dívidas estava em 57,1%.

Segundo o levantamento, havia, no mês passado, 1,833 milhão de famílias com algum tipo de dívida na capital paulista, número que representa um avanço de 5,5% sobre março. De acordo com a Fecomercio, a justificativa para a alta entre março e abril seria o impacto no orçamento domiciliar da inflação "persistente", sobretudo entre os alimentos, além do menor crescimento da renda. "Diante desse cenário e para manter o mesmo padrão de consumo, as famílias estariam sendo forçadas a contrair novas dívidas", diz a nota.

O endividamento aumentou relativamente mais entre os paulistanos de maior renda. O total de famílias endividadas com renda acima de dez salários mínimos mensais subiu oito pontos porcentuais na passagem de março para abril, de 29,3% para 37,3%. Já a fatia das famílias com remuneração de até dez salários mínimos com contas a pagar avançou 0,9 ponto porcentual, de 55% para 55,9% no mesmo período.

O cartão de crédito é a modalidade de dívida de maior incidência. Entre as famílias endividadas, 66,2% possuíam faturas a pagar. Na sequência, apareceram financiamentos de veículos (19%); carnês de crediário (15,6%); créditos pessoais (10,9%); financiamento imobiliário (13,4%); cheque especial (5,4%); e crédito consignado (4,2%).

TAGS