PUBLICIDADE
Notícias

Setor público tem superávit de R$ 2,13 bi em fevereiro

10:50 | 28/03/2014
O setor público consolidado apresentou superávit primário de R$ 2,130 bilhões em fevereiro, informou o Banco Central, nesta sexta-feira, 28. Em janeiro, o resultado havia sido positivo em R$ 19,921 bilhões. Em fevereiro de 2013, houve superávit de R$ 3,031 bilhões.

O superávit primário consolidado de fevereiro ficou dentro das estimativas dos analistas do mercado financeiro ouvidos pelo AE Projeções, que iam de déficit primário de R$ 1,5 bilhão a um superávit de R$ 2,5 bilhões e mediana de zero.

O esforço fiscal de fevereiro foi composto por um déficit de R$ 3,389 bilhões do Governo Central (Tesouro, Banco Central e Previdência Social). Os governos regionais (Estados e municípios) contribuíram com superávit de R$ 5,468 bilhões no mês.

Enquanto os Estados registraram um superávit de R$ 4,107 bilhões, os municípios tiveram também um superávit de R$ 1,360 bilhão. Já as empresas estatais registraram superávit primário de R$ 52 milhões.

No ano

O esforço fiscal do setor público caiu nos primeiros dois meses deste ano em relação ao mesmo período de 2013. As contas do setor público acumulam até fevereiro um superávit primário de R$ 22,052 bilhões, o equivalente a 2,73% do PIB. No mesmo período do ano passado, o superávit primário era maior: de R$ 27,220 bilhões ou 3,66% do PIB.

O esforço fiscal foi feito com a ajuda de um superávit de R$ 9,160 bilhões do Governo Central (1,14% do PIB). Os governos regionais (Estados e municípios) apresentaram um superávit de R$ 12,709 bilhões (1,58% do PIB) nos dois primeiros meses do ano. Enquanto os Estados registraram um superávit de R$ 10,184 bilhões, os municípios alcançaram um saldo positivo de R$ 2,525 bilhões. As empresas estatais registraram superávit de R$ 183 milhões (0,02 % do PIB).

12 meses

As contas do setor público acumulam um superávit primário de R$ 86,138 bilhões em 12 meses até fevereiro, o equivalente a 1,76% do PIB. O esforço fiscal subiu em relação a janeiro, quando o superávit em 12 meses estava em 1,66% do PIB ou R$ 80,976 bilhões. O superávit em 12 meses está abaixo da estimativa do ministro da Fazenda, Guido Mantega, de alcançar um saldo positivo de 1,9% ao final de 2014. O esforço fiscal foi feito com a ajuda de um superávit de R$ 65,506 bilhões do Governo Central (1,34% do PIB).

Dívida líquida

A dívida líquida do setor público subiu para 33,7% do Produto Interno Bruto (PIB) em fevereiro, ante 33,1% em janeiro. Em dezembro de 2013, estava em 33,6% do PIB. A dívida do governo central, governos regionais e empresas estatais terminou o mês passado em R$ 1,649 trilhão, informou o Banco Central. A dívida bruta do governo geral encerrou o mês passado em R$ 2,816 trilhões, o que representou 57,5% do PIB. Em janeiro, essa relação estava em 58,1%.

Juros

O setor público consolidado gastou R$ 11,646 bilhões com juros em fevereiro, o que representa uma queda em relação ao gasto de R$ 30,399 bilhões registrado em janeiro deste ano e redução também ante os R$ 20,251 bilhões vistos em fevereiro de 2013.

O governo central teve no mês passado um gasto com juros de R$ 6,726 bilhões. Já os governos regionais registraram uma despesa de R$ 4,734 bilhões, e as empresas estatais tiveram gastos de R$ 186 milhões.

No acumulado do ano, o gasto com juros do setor público consolidado soma R$ 42,045 bilhões, o equivalente a 5,21% do PIB. No mesmo período do ano passado, o gasto com juros estava em R$ 42,900 bilhões ou 5,77% do PIB. Já nos 12 meses encerrados em fevereiro, a despesa chega a R$ 248,001 bilhões ou 5,06% do PIB

TAGS