PUBLICIDADE
Notícias

Mantega reforça que País vai cumprir meta fiscal

14:10 | 28/03/2014
O ministro da Fazenda, Guido Mantega, garantiu nesta sexta-feira, 28, novamente, que o País vai cumprir a meta fiscal de 1,9% do Produto Interno Bruto (PIB) de superávit primário. Ao encerrar aula magna na Escola de Economia de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (EESP-FGV), o ministro respondeu aos jornalistas que a situação fiscal foi "bem-recebida" quando se estabeleceu a meta de 1,9%. "Eu queria aqui garantir que nós vamos cumprir esse 1,9%, mesmo com a questão elétrica", disse Mantega.

Ao comentar o resultado de fevereiro, Mantega afirmou que "fevereiro é um mês fraco, normalmente". "Nós já estamos com R$ 20 bilhões de primário acumulado em janeiro e fevereiro", completou o ministro em referência ao número divulgado hoje pelo Banco Central de superávit acumulado de R$ 22,1 bilhões nos dois primeiros meses do ano. Segundo Mantega, em março o superávit será melhor do que foi em fevereiro.

"Fevereiro do ano passado tivemos R$ 76 bilhões de arrecadação e esse ano foi quase R$ 83 bilhões. Foi razoável o aumento, mas é um mês fraco", completou, sobre a arrecadação de impostos e contribuições federais. De acordo com o ministro, os meses fortes de arrecadação são janeiro, março e abril - este último mês há o pagamento do Imposto de Renda. "E até maio, junho já teremos um resultado razoável", disse.

Inflação

Mantega comentou ainda que há uma pressão na inflação e que ela ocorre em função de alguns fatores, especialmente os alimentos e os custos dos serviços. "Houve seca também nos EUA. Os alimentos são commodities, portanto, seus preços são determinados de forma internacional", destacou.

O ministro também ponderou que no caso dos serviços boa parte dos aumentos são motivados pelo avanço da renda da população, num contexto de pouca competição internacional.

TAGS