PUBLICIDADE
Notícias

FGV: inflação sobe para consumidor e construção

07:50 | 07/02/2014
Apesar de o Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) ter desacelerado na passagem de dezembro para janeiro, de +0,69% para +0,40%, movimento semelhante só foi registrado nos preços no atacado. Para o consumidor e nos preços da construção civil, o ritmo de alta ganhou força no primeiro mês de 2014.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 0,99%, depois da alta de 0,69% em dezembro, influenciado principalmente pelos preços no setor de educação. O grupo Educação, Leitura e Recreação saiu de uma taxa de 0,47% em dezembro para 4,47% em janeiro. Nesta classe de despesa, vale mencionar o comportamento do item cursos formais, cuja taxa passou de 0,02% para 9,07%.

Além desta, outras três classes de despesa avançaram em janeiro: Despesas Diversas (0,38% para 2,94%), Habitação (0,51% para 0,71%) e Comunicação (-0,07% para 0,14%), no mesmo período.

No sentido contrário, outras três classes que fazem parte do índice desaceleraram: Transportes (1,20% para 0,62%), Vestuário (0,50% para -0,30%) e Saúde e Cuidados Pessoais (0,53% para 0,47%). Vale destacar o comportamento da gasolina, com queda de 0,09%, depois de subir 3,93%.

O grupo Alimentação manteve igual ritmo de alta em dezembro e janeiro, de 0,93%, com uma surpresa no item hortaliças e legumes (6,27% para 1,60%). A influência no sentido de alta veio do item restaurantes (0,41% para 0,88%).

Além de ter acelerado no primeiro mês do ano, o IPC também registrou aumento no índice de difusão. Em janeiro, 73,67% dos preços aumentaram, contra uma proporção de 69,23% no mês anterior.

Construção

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou, em janeiro, alta de 0,88%, bem acima do resultado do mês anterior, de 0,10%. A influência partiu tanto dos Materiais, Equipamentos e Serviços (0,54%, ante 0,21%) quanto do custo da Mão de Obra (1,19%, ante 0,0%).

TAGS