Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Comer um cachorro-quente pode reduzir 36 minutos de vida saudável, diz estudo

Por outro lado, comer nozes aumenta o tempo de vida saudável em 26 minutos
23:25 | Ago. 27, 2021
Autor Neto Ribeiro
Foto do autor
Neto Ribeiro Repórter Mídias Sociais
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Pesquisadores da Universidade de Michigan, situada nos Estados Unidos, concluíram que consumidores de cachorro-quente podem perder aproximadamente 36 minutos de vida saudável para cada 'hot-dog' comido. O estudo foi publicado na revista "Nature Food" e avaliou 5,8 mil alimentos com o objetivo de conhecer seus impactos nutricionais para os humanos e efeitos no meio ambiente.

O trabalho fez uso de um novo índice nutricional baseado em epidemiologia chamado Health Nutritional Index (HENI). Desta forma, foi possível calcular os benefícios ou malefícios à saúde que os alimentos impactariam em minutos de vida saudável nos humanos.

Por outro lado, o estudo mostra que consumir nozes pode acrescentar 26 minutos de vida saudável a quem colocar o alimento em sua dieta diária. Os resultados da pesquisa mostram que substituir carne bovina e processadas por frutas, vegetais, nozes, legumes e frutos do mar aumenta o potencial de redução de carbono em até um terço na dieta.

“Geralmente, as recomendações dietéticas carecem de uma direção específica e prática para motivar as pessoas a mudarem seus comportamentos”, afirmou a pesquisadora Katerina Stylianou, do Departamento de Saúde Ambiental e Ciências na Escola de Saúde Pública da Universidade. Ao todo, conforme os alimentos consumidos nos Estados Unidos, os pesquisadores consideraram 15 fatores de risco dietéticos e estimativas de carga de doenças.

Com base nisso, quando os alimentos possuem pontuações positivas - de acordo com os dados da Pesquisa Nacional de Saúde e Avaliação Nutricional norte-americana - foi possível acrescentar minutos de vida. Se há, no entanto, pontuações negativas podem trazer malefícios a saúde humana e, por conta disso, são retirados minutos de vida dos consumidores.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Jericoacoara: onde fica, como chegar, o que fazer e tudo sobre a praia

paraíso
23:09 | Ago. 27, 2021
Autor Carolina Parente
Foto do autor
Carolina Parente Autor
Ver perfil do autor
Tipo

Considerada um destino deslumbrante pelos amantes da natureza, a praia de Jericoacoara é adorada por cearenses, brasileiros e turistas de fora do país. Agraciada pela beleza local, Jeri (como chamam os íntimos) está circunscrita em uma relaxante atmosfera litorânea que mistura simplicidade e sofisticação, agradando variados tipos de pessoas.

Onde fica Jericoacoara?

Situada no estado do Ceará, no nordeste brasileiro, Jericoacoara pertence ao município de Jijoca de Jericoacoara, distante 300 km da capital Fortaleza.

A famosa Vila de Jericoacoara faz parte da Rota das Emoções, um dos trajetos turísticos mais cobiçados do Brasil, cujo caminho perpassa o destino mencionado, além do Delta do Rio Parnaíba, no Piauí, e dos Lençóis Maranhenses, no Maranhão.

Zona que pertencia aos índios Tremembé, “a enseada de Jericoacoara está naturalmente protegida por uma verdadeira cordilheira de dunas", segundo consta no site da prefeitura de Jijoca. “A geografia da praia dificultou por muito tempo o acesso de exploradores portugueses às suas imaculadas terras.”

Há somente notícias de eventuais passagens efetuadas por aventureiros que, vindos por mar a caminho do Maranhão, ali estiveram no século XVII, além dos nativos indígenas que habitavam aquelas terras.

Em 1614, na região, foi instalado o forte de Nossa Senhora do Rosário cuja base serviu de apoio aos portugueses em batalhas travadas contra os franceses que ocupavam o estado maranhense.

O vilarejo de pescadores situado no interior de Jeri foi somente descoberto pelo turismo internacional em meados da década de 1970. Com a fama mundial que conquistou, a praia jijoquense foi elevada a Área de Proteção Ambiental (APA) em 1984 por ato do então presidente brasileiro General João Figueiredo. Em 2002, tornou-se Parque Nacional.

O parque possui ao todo uma área de 8850 hectares, o equivalente a 88500000 m², e foi criado para proteger e preservar o seu ecossistema costeiro, certificando a conservação de seus recursos naturais e possibilitando a realização de pesquisa científica, de educação ambiental e de turismo ecológico.

O local é administrado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), órgão ligado ao Ministério do Meio Ambiente responsável por propor, implantar, gerir, proteger, fiscalizar e monitorar as unidades de conservação ambientais da federação brasileira.

Com ruas de areia fofa e sem postes de iluminação artificial, Jericoacoara, apesar de badalada, preserva as características rústicas de uma típica aldeia de pescadores e, por conseguinte, a possibilidade de avistar o firmamento durante as noites na cidadezinha.

Dependendo da época do ano, a praia estará lotada ou vaga; mas, jamais vazia. Deve-se estar atento às datas para não correr o risco de ficar sem hospedagem na alta estação. Nas férias de julho, dezembro e janeiro e em feriados estendidos de Carnaval e Semana Santa é aconselhado aos turistas o planejamento prévio.

A hospedagem na vila de Jeri funciona de base para pessoas que também desejam visitar outros sítios turísticos nos arredores da área. Tatajuba e Praia do Preá são localidades próximas à vila as quais merecem a atenção de turistas que se deslocam de tão longe para conhecer a beleza da costa alencarina e suas águas mornas bastante convidativas para um mergulho refrescante e para a prática de esportes náuticos (kitesurf e windsurf).

Jericoacoara: quando ir?

Jericoacoara, independentemente da época do ano, receberá turistas de todas as partes. No entanto, os melhores meses para visitar a região são após o período de chuvas no Ceará, as quais ocorrem com intensidade de fevereiro a abril.

Durante os três meses que sucedem o trimestre chuvoso no estado, ocorre a decantação das águas em Jeri, o que torna as piscinas marinhas e lagoas ali presentes cristalinas e ainda mais belas a partir de agosto num período do ano que se estende até novembro.

No entanto, dezembro e janeiro são também ótimos meses para estar no local, já que antecedem a estação chuvosa. A desvantagem desse período, por outro lado, é a alta dos preços em face do turismo intenso que ocorre nas férias de verão no Brasil.

Jericoacoara e a Covid-19

O município está com nível moderado de transmissão da Covid-19, apesar do avanço da campanha de vacinação, segundo painel de indicadores da plataforma IntegraSus, gerenciada pela Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa). Os números são relativos às semanas epidemiológicas 32 e 33, entre 8 e 21 de agosto. No levantamento no começo do mês, a cidade totalizava 2.777 casos confirmados e 31 óbitos pela doença.

A Polícia Militar do Ceará tem dispersado vários focos de aglomeração em Jericoacoara, onde pessoas foram flagradas sem máscaras de proteção contra a Covid-19. Apesar de estarem em local aberto, a proximidade entre as pessoas e a ausência de máscaras de proteção favorecem a transmissão do vírus. O Sars-Cov-2, vírus causador da Covid-19, é transmitido pelo ar, especialmente por aerossóis - partículas tão leves que ficam suspensas no ar.

 

Em nota, o Batalhão de Policiamento Turístico (BPTur) reforça que é necessário que a população colabore com “as medidas sanitárias adotadas pela prefeitura de Jericoacoara para limitar o número de pessoas que entram na cidade”.

A população pode denunciar as ações de descumprimento do decreto estadual ligando para o 190. O anonimato é garantido.

Como chegar em Jericoacoara?

É possível chegar à vila de carro, ônibus ou avião. O meio a ser escolhido dependerá dos valores que o turista pretende gastar para aproveitar alguns dias de descanso e diversão.

Desde 2017, a praia conta com o Aeroporto Regional de Jericoacoara, que está localizado no município de Cruz, a 30 km da Vila. É um estabelecimento rústico que segue o estilo da região, operando voos das principais companhias aéreas do Brasil: Azul, Gol e, a partir de novembro de 2021, Latam. O interessado deve consultar as operadoras para comprar as passagens que costumam ser bem caras.

O viajante também pode pegar um ônibus das empresas Fretcar ou Guanabara na rodoviária de Fortaleza que o levará a Jijoca. De jijoca a Jeri não há rodovia, somente areia. Portanto, a pessoa deverá fretar a viagem com um veículo credenciado na prefeitura do município que poderá transportá-la até a entrada do parque. Além disso, é possível chegar à vila de pau-de-arara pagando um preço mais acessível, porém o passageiro terá menos conforto.

Quem decidir viajar de carro, deverá optar por um veículo de tração 4x4 e estacionar o automóvel fora da Vila, em um estacionamento na entrada do distrito, sendo necessário pagar uma diária que custa R$ 40. Se o carro permanecer 5 dias estacionado, o valor final será R$ 200, por exemplo.

Caso o viajante tenha pouco tempo de estadia no Ceará e mesmo assim desejar visitar Jericoacoara, de Fortaleza é possível realizar um “bate-volta” saindo da capital às 3h da manhã e voltando no final da tarde. Para tanto, basta entrar em contato com uma agência de turismo local para marcar o passeio.

Jericoacoara: onde ficar?

Em Jeri é possível realizar hospedagem em estabelecimentos de altíssimo padrão, como também é viável permanecer em locais mais rústicos que tenham bom custo-benefício. Pousadas luxuosas, simples e requintadas; hostels e acampamentos são algumas das diversas possibilidades de estadia que a praia oferece.

Booking.com; Hostelworld.com e Airbnb.com são opções de sites em que o turista pode pesquisar os estabelecimentos e fazer as reservas.

Em agosto de 2021, duas noites em um hotel como Vila Kalango em Jericoacoara pode custar aproximadamente R$ 3000 para um casal. Já a diária para uma pessoa em um quarto compartilhado do Hostel Pousada LaTaperaJeri custa na faixa de R$ 50.

Se o turista desejar aventurar-se num camping e economizar ainda mais na hospedagem, levando a própria barraca, pagará somente o valor da estadia na propriedade. No Camping do Natureza, isso custaria R$ 20 por pessoa, ainda que duas pessoas dividissem a mesma tenda. É possível também utilizar o espaço para armar redes, caso a pessoa prefira dormir ao ar livre. O proprietário fornece as redes utilizadas pelos hóspedes.

O que comer em Jericoacoara?

Experimentar a gastronomia típica de um vilarejo praiano é uma obrigatoriedade em Jeri. A vila que inicialmente era espaço exclusivo de pescadores e suas famílias é hoje reduto de excelentes restaurantes especializados em pescados e mariscos.

No entanto, é possível comer de tudo no local. Há hamburguerias, pizzarias, açaiterias, restaurantes japoneses e lojas de doces. Tudo depende do apetite do turista e se ele deseja somente lanchar ou fazer uma refeição mais demorada.

O preço dos pratos também deve ser levado em conta por quem opta por controlar os gastos. Tomar um açaí à noite é mais barato do que comer uma pratada de camarão. Cozinhar no apartamento ou no hostel é ainda mais econômico. A pessoa pode, portanto, fazer a feira numa mercearia e preparar as refeições por conta própria.

Estando na vila, o turista pode explorar as possibilidades oferecidas pelos estabelecimentos locais, pesquisar preços e se deliciar com a culinária cearense.

Passeios em Jericoacoara

Nos arredores de Jericoacoara há diversos atrativos, cabendo ao viajante decidir o que vale mais a pena conhecer no local. Dependendo do tempo de permanência na praia é possível aproveitar com bastante calma a beleza de cada um dos pontos turísticos.

Como a vila em si é pequena e próxima ao mar é possível explorá-la rapidamente e desfrutar de um mergulho. Além disso, com 1 hora de caminhada alcança-se a Pedra Furada, um dos cartões postais da praia, e com apenas 15 minutos chega-se à Duna do Pôr-do-sol.

Nas proximidades da praia os viajantes podem conhecer também a Árvore da Preguiça, monumento vegetal que recebeu esse nome por não estar erguida verticalmente. Devido aos fortes ventos que sopram na região, a árvore tem seu tronco retorcido para baixo, de modo que seus imensos galhos tocam o chão de areia.

Demais atrativos na praia devem constar no roteiro dos turistas, como a Pedra do Frade, o Farol de Jericoacoara, a Praia Malhada, a Piscina Natural de Ananias, a Piscina Natural do Dekinho e o Poço da Princesa.

 

Outro atrativo importantes da região é a Lagoa do Paraíso, situada em Jijoca fora das imediações do Parque Nacional, onde é possível deitar em redes armadas dentro d’água e aproveitar a estrutura de ótimos estabelecimentos, como o Alchymist Beach Club, uma barraca de praia com um extenso cardápio de comidas e bebidas que disponibiliza armários, banheiros e chuveiro para os clientes.

A partir da aldeia, é possível visitar em Jijoca de Jericoacoara a Praia do Mangue Seco, um povoado habitado por pescadores. O local é marcado pelo encontro do mar com o rio Guriú culminando na formação de uma lagoa de água salgada cheia de cavalos-marinhos. Pelo mangue é feito um passeio de canoa para apreciar a beleza local. Lembre-se que não é recomendado o uso de filtro solar nesse ponto, pois o ecossistema é bastante frágil.

A partir da vila de Jeri, os viajantes podem conhecer também a mais nova atração turística do local, o Buraco Azul no distrito de Caiçara em Cruz, município que faz divisa com Jijoca de Jericoacoara. É um piscinão de água azul-turquesa que se formou em 2019 devido às chuvas que ocorreram no Ceará após a remoção de barro e areia do local para a construção da rodovia CE-182.

Outros pontos que os turistas costumam visitar além do território de Jijoca são a Praia do Preá, a leste do parque nacional situado também em Cruz, e a praia de Tatajuba, a oeste do parque, no município de Camocim.

Para conhecer as diversas localidades nos arredores de Jeri, especialmente os mais distantes do vilarejo, deve-se dirigir carros 4x4 ou fretar um passeio de buggy junto a alguma agência de turismo local e curtir ao máximo.

É importante ter a posse de protetor solar para evitar insolação, de modo que o passeio não seja prejudicado. Aconselha-se também ao viajante a utilização de chapéu para proteger o rosto e de camisetas com proteção UVA e UVB.

Taxa por visitante em Jericoacoara

Com o intuito de cuidar e proteger o patrimônio natural de Jericoacoara, é cobrada um valor de R$ 30 por visitante para uma estadia de sete dias. Mesmo que a pessoa passe só o dia na praia, o pagamento deverá ser efetuado. Caso o turista passe mais de uma semana na vila, uma nova taxa será gerada com base no período de permanência excedente.

Estão isentas do pagamento da taxa crianças até 12 anos, idosos acima de 60 anos, pessoas com deficiência, moradores de Jijoca de Jericoacoara e trabalhadores que atuam na vila. A condição de isenção deve ser comprovada na entrada da vila no momento da chegada, mediante apresentação de documento comprobatório ao fiscal da prefeitura.

O pagamento pode ser feito na entrada da vila, em jijoca no posto BR das 7h às 19h, ou pela internet, por meio do site da prefeitura do município neste link https://speedgov.com.br/satjij/servlet/com.satweb.formtaxatur.

Não há caixa 24 horas em Jeri, somente em Jijoca; portanto, deve-se levar dinheiro vivo à vila, pois muitos estabelecimentos não aceitam cartão de crédito ou débito.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Rio: número de óbitos provocados pela covid-19 tem queda de 11%    

Saúde
23:06 | Ago. 27, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O estado do Rio de Janeiro teve redução de 11% no número de óbitos provocados pela covid-19 e aumento de 6% nas internações por síndrome respiratória aguda grave (SRAG), segundo a 45ª edição do Mapa de Risco da Covid-19, divulgada nesta sexta-feira (27) pela Secretaria de Estado de Saúde (SES). A análise compara as semanas epidemiológicas 32 (de 08 agosto a 14 de agosto) e 30 (25 de julho a 31 de julho) de 2021.

“Os indicadores precoces também apresentaram indícios de alerta no cenário pandêmico do estado e as ações referentes ao plano de contingência já foram acionadas. Ele nos permite tomar decisões com mais tranquilidade, como a abertura de leitos”, disse o secretário estadual de Saúde, Alexandre Chieppe.

O Mapa de Risco mostra que a taxa de ocupação de leitos no estado do Rio de Janeiro é de 70% para Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e de 46% para enfermaria.

Das nove regiões do estado, cinco estão na bandeira amarela: Metropolitana II, Norte, Baixada Litorânea, Centro-Sul e Médio Paraíba. As regiões Serrana e Baía da Ilha Grande estão na faixa laranja, já a Metropolitana l e a Noroeste estão em bandeira vermelha.

Cada bandeira representa um nível de risco e um conjunto de recomendações de isolamento social, que variam entre as cores roxa (risco muito alto), vermelha (risco alto), laranja (risco moderado), amarela (risco baixo) e verde (risco muito baixo).

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Brasil de Bolsonaro: essencial é descartável e irrelevante é imprescindível

POLÍTICA
22:56 | Ago. 27, 2021
Autor Érico Firmo
Foto do autor
Érico Firmo Autor
Ver perfil do autor
Tipo Opinião

Ao longo da semana, personalidades do Governo Federal nos ensinaram o que é importante e o que não é. O ministro da Economia, Paulo Guedes, entende que não é um problema tão grande assim a energia ficar "um pouco" mais cara. O que é muito ou pouco não é a mesma coisa se você não é um ministro milionário. Pois bem, o ministro tranquiliza o País e informa que não precisa alarde por causa do aumento da energia. Isso não é tão importante.

Sabe o que é importante? Comprar fuzil. Essa é da lavra do presidente Jair Bolsonaro. "Tem que todo mundo comprar fuzil, pô." E achou pouco: "Tem um idiota: 'Ah, tem que comprar é feijão'. Cara, se não quer comprar fuzil, não enche o saco de quem quer comprar."

O sujeito diz que "todo mundo" precisa comprar fuzil. E o idiota é quem acha que o povo precisa é de comida, não de arma. Porque inteligente é o Bolsonaro, aquela sofisticação intelectual, aquele repertório, aquela qualificação.

Mas, se Paulo Guedes não acha tão grave a energia ficar mais cara uma coisinha, o risco de apagão preocupa o presidente. "Peço esse favor para você, apague um ponto de luz agora."

Bolsonaro é especialista em criar debates irrelevantes e fazer todo mundo mergulhar em polêmicas vazias, enquanto ficam de lado os problemas da vida real. Aqui estamos, debatendo a necessidade de todos comprarem fuzis, como outro dia era a impressão de voto.

Hoje pede para apagar um ponto de luz para resolver a crise hídrica, assim como, para proteger o meio ambiente, já pediu para se fazer cocô dia sim, dia não. Lembra dessa? Você, caro leitor que apoia o presidente, espero que esteja cumprindo direitinho esse pedido. Com a luz apagada.

Já teve a campanha da ministra Damares Alves pela abstinência sexual de jovens, já teve golden shower. Um grande vazio.

Bolsonaro projeta um País onde cada pessoa tem de ter seu fuzil. Que bela nação, que bela sociedade. A visão: cada um de nós no escuro, de fuzil na mão, defecando em dias alternados.

Bolsonaro quer a reeleição. Porque quatro anos são pouco. Precisa de mais tempo para continuar a obra, dia sim, outro também.

Qual o alvo da crítica de Guedes?

Uma coisa me chamou atenção na fala de Paulo Guedes sobre o aumento da energia. Observe: “Quer dizer, qual é o problema agora: que a energia vai ficar um pouco mais cara porque choveu menos? Ou o problema é que está tendo uma exacerbação porque anteciparam as eleições?”

Muito se falou da primeira parte. Mas, e essa segunda parte? Quem antecipou as eleições? Tem alguém em mais campanha antecipada do que Bolsonaro? Que o tempo todo fala do assunto, de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Que, na visita ao Ceará, fez sinalização de apoio político a Capitão Wagner (Pros) nos mesmos termos que usou na declaração de adesão nas eleições 2020.

Guedes coloca, no patamar da falta de chuvas, a antecipação das eleições. Lula está fazendo isso? Está. Ciro Gomes (PDT) também? Também. Mas, o ministro devia olhar para o chefe.

Ouça o podcast Jogo Político:

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Itamaraty: Brasileiro é resgatado do Afeganistão com ajuda de Espanha e Alemanha

INTERNACIONAL
22:55 | Ago. 27, 2021
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia
Com ajuda europeia, um cidadão brasileiro e sua família foram resgatados nesta sexta-feira, 27, do Afeganistão. A retirada foi possível por meio de intermediação diplomática do Itamaraty.
O cidadão, cuja identidade foi preservada, chegou com a família em Madri, na Espanha, e todos estão com boas condições de saúde. Além dos espanhóis, o governo alemão auxiliou na retirada.
O serviço consular havia identificado cinco cidadãos brasileiro em território afegão, após a queda do governo apoiado por forças ocidentais para o Taleban. Além deles, uma pessoa que se disse brasileira pediu ajuda por mensagem de telefone aos diplomatas brasileiros que servem em Islamabad, no Paquistão, mas depois perdeu contato, como revelou o Estadão/Broadcast Político. O Brasil não tem embaixada ou consulado no Afeganistão.
"Dos cinco nacionais identificados, dois haviam solicitado auxílio para sair do país", informou a chancelaria.
Segundo o Ministério das Relações Exteriores, a situação dos brasileiros tem recebido atenção prioritária. "O Itamaraty permanece em intensa articulação com países atuantes na região para viabilizar a pronta retirada do cidadão ainda localizado em território afegão, bem como de seus familiares", disse a pasta.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

O efeito Vojvoda no futebol nordestino

Opinião
22:53 | Ago. 27, 2021
Autor Fernando Graziani
Foto do autor
Fernando Graziani Autor
Ver perfil do autor
Tipo

Acelera-se com força a tendência de técnicos estrangeiros dirigindo times brasileiros da primeira divisão. Agora são 7 entre os 20 da Série A, ou seja, 35%. É um número relevante e inédito. Quando o Fortaleza contratou o argentino Juan Pablo Vojvoda no dia 4 de maio passado, já entendia que ter um olhar ampliado para o continente era essencial. O trabalho desde então tem se mostrado notável, de excelência, e, não por acaso, Bahia e Sport também optaram por investir em treinadores que tem o espanhol como língua nativa.

O atraso se mostra perfeitamente
Há uma evidente defasagem dos técnicos brasileiros em relação ao mundo moderno do futebol, tanto em método de treinamento, disposição e variação tática, além da forma como cobram os elencos no dia a dia. Isso não quer dizer que todo treinador vindo de fora do país dará certo por aqui. Basta lembrar de alguns casos recentes de missões mal executadas, como Miguel Ángel Ramírez, no Inter, Rafael Dudamel, no Atlético-MG e Domènec Torrent, no Flamengo. Ainda assim, o que se pede é novidade com ideias arejadas e o mercado está bastante aberto para estrangeiros. Neste momento, Palmeiras, Inter, São Paulo, Athletico-PR, Bahia, Sport e Fortaleza são comandados por profissionais não brasileiros.

Guto Ferreira está sozinho
Nos clubes do Nordeste da Série A, o técnico do Ceará agora é o único nascido no Brasil. Além de Vojvoda no Fortaleza, o Bahia trouxe o argentino Diego Dabove e o Sport chamou o paraguaio Gustavo Florentín. Guto Ferreira também carrega o mérito e o atual recorde de ser o treinador, disparadamente, mais longevo entre todos os clubes da Série A. Está no clube desde março de 2020. Já são 528 dias no Alvinegro.

Essencial o Ceará aproveitar a chance
Diante de um dos mais fracos times da Série A, o Ceará tem a oportunidade de vencer o América-MG fora de casa, amanhã de manhã. O time precisa atuar tão bem, como fez contra o Flamengo, especialmente na intensidade ofensiva. Aproveitar o momento e somar três pontos pela primeira vez como visitante na Série A 2021 manterá o time no G-8 e dará chance de subir até duas posições, caso Corinthians e Atlético-GO tropecem.

O mais equilibrado duelo
da Copa do Brasil
Deu a lógica nos quatro confrontos de ida das quartas de final da Copa do Brasil. Eram três favoritos destacados e todos venceram: Athletico-PR, Flamengo e Atletico-MG bateram, respectivamente, Santos, Grêmio e Fluminense. São os três ainda mais favoritos para atingirem as semifinais. O duelo mais equilibrado era justamente entre São Paulo e Fortaleza e graças a muitos erros defensivos das duas equipes, o 2 a 2 se mostrou adequado ao que foi a partida no Morumbi. Melhor para o Tricolor do Pici que perdia até os 38 minutos do segundo tempo por 2 a 0.

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags