PUBLICIDADE
Curiosidades
NOTÍCIA

Conheça a história de um Gol G2 cearense que foi parar na Alemanha

Com menos de 2 mil km rodados, o Gol bola 1998 foi resgatado em bom estado de conservação

12:02 | 18/05/2019
Nürburgring
Nürburgring (Foto: Renato Hinkelmann/Acervo pessoal)

Era uma vez um Volkswagen Gol CL 1.6 Mi (bolinha) 1998, fabricado no Brasil. Ele foi importado à Alemanha zero quilômetro por uma empresa de autopeças para ser usado em testes de desenvolvimento de componentes. Contudo, quando chegou à Alemanha, a fábrica já tinha modificado a linha Gol e o carro acabou inutilizado.

Quem conta a história é o engenheiro mecânico fortalezense Renato Hinkelmann, que comprou o carro há pouco mais de dois anos, com menos de 2 mil quilômetros rodados. Há sete, ele mora em Colônia, na Alemanha.

“Esse modelo nunca foi vendido na Europa. Foi fabricado para mercados emergentes. (O carro) ficou quase dois anos anunciado em uma loja de carros antigos, e ninguém se interessava por ele. O dono ofereceu um valor maior do que eu imaginava na minha Kombi 74 Standard com apenas 29 mil km, que levei do Brasil, e o Gol entrou no negócio por 2 mil euros”, conta Renato. O veículo tem até os adesivos da antiga concessionária de São Paulo.

Ele então assumiu o desafio do 7x2, como chama o Gol. Faltava documentação, licenciamento na Alemanha, adequações às normas de segurança europeias e pequena manutenção. “Tive que fazer testes para garantir que o carro atendesse às legislações, instalar farol de neblina, novos cintos de segurança, homologá-lo para a Europa”.

“A documentação foi ainda mais complicada, porque vários documentos tinham sido extraviados. Por ser brasileiro, consegui ter acesso ao Detran e, com ajuda de despachantes, ter acesso à segunda via”. Ele precisou ainda apresentar a tradução juramentada dos documentos aos órgãos alemães.

Clique na imagem para abrir a galeria
Ao todo, Renato diz ter gastado pelo menos 8 mil euros (mais de 36 mil reais, em valores de hoje). “Valeu a pena. Eu gosto de carro antigo em geral. O Gol não é comum nem procurado na Europa. Isso faz dele um carro raro, principalmente pelo excelente estado de conservação. Seria uma grande pena um carro desse virar sucata. Resolvi insistir por conta disso”, completou, ao O POVO Online.

O 7x2 agora tem um toca-fitas digital herdado do Golf de terceira geração. As rodas de aço com calotas deram lugar às rodas opcionais do Passat GL 1995, baratas na Europa, mas que no Brasil são caríssimas.

Um Gol quatro portas, sem ar-condicionado, com direção hidráulica. Saído do Brasil e renegado na Alemanha por quase 20 anos. Foi este carro que, no Dia das Mães, correu no famoso Nürburgring, autódromo na cidade de Nürburg.

Saiba mais

Este é, provavelmente, o Gol mais novo da Europa. Há notícias de apenas outros dois carros do tipo, do BX (de primeira geração, ainda com motor refrigerado a ar), um em Portugal e outro na Alemanha.

Você pode acompanhar o dia a dia do Gol na Alemanha e dos outros carros do Renato (BMW E36 316i 1997, Fiat 500R 1975 e um Fusca 1300L 1978, resgatado em Belo Horizonte e que hoje está em Fortaleza) pelo perfil @classiccarseuropa no Instagram.

Lucas Braga