PUBLICIDADE
Curiosidades
Arábia Saudita

Garoto de 14 anos é detido por "violar a moral pública" ao dançar "Macarena" em cruzamento

11:25 | 23/08/2017

A imagem mostra o garoto dançando a coreografia de Macarena na frente de carros esperando o sinal abrir em cruzamento
A imagem mostra o garoto dançando a coreografia de Macarena na frente de carros esperando o sinal abrir em cruzamento (Foto: Reprodução)

Um adolescente de 14 anos foi detido, na Arábia Saudita, por atrapalhar o tráfego e "violar a moral pública", após dançar a coreografia da música "Macarena" - sucesso dos anos 1990 da banda espanhola Los Del Rio - na faixa de pedestre de um cruzamento. As informações são do jornal britânico The Guardian.

O vídeo que mostra o jovem, que não teve o nome divulgado, dançando dura 45 segundos e foi gravado por um amigo em uma rua movimentada de Jeddah, no oeste do país. Segundo a imprensa saudita, depois de a filmagem ter sido postada e ter feito sucesso no Twitter, a polícia abriu uma investigação e conseguiu localizar o garoto. A informação é do jornal português, Jornal de Notícias.

 

Segundo a agência de notícias Reuters, o Ministério do Interior da Arábia Saudita informou nesta quarta-feira, 23, que o garoto foi solto, não foi acusado formalmente de nenhum crime e recebeu apenas uma advertência sobre segurança rodoviária. Além disso, as autoridades interrogaram os tutores do adolescente.

As informações do relatório do Ministério do Interior dizem que "a notificação foi somente para avisar o rapaz sobre as potenciais consequências para a sua segurança e para garantir a segurança dos motoristas e peões". Além disso, detalha que os tutores "assinaram um compromisso por escrito de que o adolescente não voltará a ter um comportamento que ponha a sua vida ou a de outros em perigo", dizia o comunicado.

Segundo o jornal britânico BBC, acredita-se que a primeira postagem do vídeo ocorreu em julho de 2016. Nas mídias sociais, o vídeo dividiu opiniões. Parte das pessoas chamavam o jovem de "herói", defendendo-o, e outros indicavam o comportamento como "imoral".