PUBLICIDADE
Checagem O POVO
NOTÍCIA

É falso vídeo de bolo turco com comprimidos que causam paralisia

É verdade que o produto é de fabricação turca, mas não é comercializado para o Brasil. O vídeo também não é de origem brasileira

22:07 | 07/01/2020
O bolo sabor coco é produzido por uma empresa Turca e exportado para o Iraque
O bolo sabor coco é produzido por uma empresa Turca e exportado para o Iraque (Foto: Reprodução/Twitter)

Está circulando em redes sociais um vídeo em que uma pessoa abre um pacote de um bolinho e, ao repartir em dois pedaços, retira dois compromidos. Nas mensagens que geralmente acompanham as publicações, é possível ler "Esse biscoito turco já chegou ao Brasil e, tem 2 comprimidos que causam paralisia" e variações com o mesmo conteúdo. Entretanto, tanto o vídeo quanto o texto são falsos. É verdade que o produto é de fabricação turca, mas não é comercializado para o Brasil. O vídeo também não é de origem brasileira.

A agência de verificação de fatos turca Teyit conseguiu a publicação original, com maior qualidade de imagem e sons ambientes. Foi identificado o dialeto curdo, Sorani, uma das línguas oficiais do governo regional do Curdistão iraquiano. Além disso, é possível ver outro produto no ambiente, o Ace Aspiliç. Também exportado da Turquia, o maior mercado consumidor do artigo é o Iraque. O que, segundo a agência, evidencia o fato do vídeo ter sido feito neste país.

O site de verificação turco também encontrou buracos na superfície do bolo. A hipótese é que eles foram feitos para inserir os comprimidos. Os checadores também consultaram um engenheiro de alimentos que afirmou que, se as pílulas tivessem sido colocadas durante a produção, teriam derretido ou deformado durante o cozimento.

A empresa responsável pela produção do bolo Luppo é a Olen, com fábricas em Gaziantep e Istambul. Pelas redes sociais, a companhia se manifestou afirmando que o vídeo seria "irreal e ilusório". "Esse compartilhamento que carrega inteiramente o propósito de difamação é totalmente ilusório e enganoso", reiterou a produtora do doce.

A empresa defendeu também que está constantemente sendo inspecionada por organização de segurança alimentar e irá continuar produzindo os produtos. "Continuaremos produzindo nossos produtos, fabricados por nós com alta sensibilidade e atenção e oferecidos por nossos países em mais de 100 países em todo o mundo com a mesma rapidez, atenção e alta qualidade", afirmou em sua conta no Twitter.

Confira a resposta da empresa: