PUBLICIDADE
Ceará
Decisão judicial

Empresário preso por porte ilegal de arma tem liberdade negada

Ele responde por outros dois processos, homicídio e tráfico de drogas

11:50 | 13/09/2018
Foto: reprodução/ TJCE
Foi negado habeas corpus para o empresário José Raulino da Silva Júnior, preso em flagrante por porte ilegal de arma de fogo. A decisão foi tomada nesta quarta-feira, 12, pela 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE). 

Conforme a relatora do caso, juíza convocada Maria do Livramento Alves Magalhães, manter a prisão do réu está devidamente fundamentado na garantia da ordem pública, uma vez que o réu responde a outros processos criminais. 

O caso

Conforme o TJCE, o réu foi abordado por policiais militares na noite de 20 de julho deste ano, quando trafegava em seu carro pela BR 020, próximo à localidade de Várzea Alegre. No veículo, foi encontrada uma pistola calibre 380, destravada, com 16 munições. Na ocasião, o flagrante foi registrado em delegacia e o acusado liberado após pagamento de fiança.

No dia seguinte, foi decretada a prisão preventiva do empresário em razão dos seus antecedentes. Ele responde por outros dois processos, homicídio e tráfico de drogas.

Com isso, a defesa do réu ingressou com habeas corpus, alegando que José Raulino é atirador desportivo e colecionador, e a arma possui registro, bem como porte para tráfego. Além disso, argumentou não haver fundamentação suficiente para manter o acusado preso, e que ele possui condições pessoais favoráveis, como primariedade, domicílio fixo e emprego lícito.

O pedido foi negado por unanimidade pela 2ª Câmara Criminal. 
 
Redação O POVO Online