PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Obras para nova ZPE começam no Pecém; governo amplia o porto

O local é uma região de investimento industrial importante, principalmente no setor de exportação e importação

07:59 | 31/07/2020
O pavimento em concreto foi escolhido por conta do alto volume de veículos pesados que passam pela rodovia indo ou vindo do Porto do Pecém (Foto: DIVULGAÇÃO)
O pavimento em concreto foi escolhido por conta do alto volume de veículos pesados que passam pela rodovia indo ou vindo do Porto do Pecém (Foto: DIVULGAÇÃO)

Nesta quinta-feira, 30, o governador Camilo Santana visitou o setor 2 da Companhia Administradora da Zona de Processamento de Exportação do Ceará (ZPE Ceará). O Setor 2 fica a cerca de quatro quilômetros do primeiro Setor, e irá ocupar uma área de 240 hectares. A previsão é de que o local seja entregue até fevereiro de 2021, dividido em módulos. O primeiro módulo de construção terá 23 hectares, e será investido aproximadamente R$30 milhões na obra.

Camilo Santana afirmou que novas empresas devem chegar ao local ainda em 2020, estimulando a oferta de postos de trabalho e o crescimento da economia, para superar efeitos da pandemia de coronavírus. O governador do Ceará disse que é uma área do Estado que exigiu muita luta para ser incluída na ZPE. Ele afirma que o Estado entregará estruturas de ruas, energia e água para que as empresas venham, construam instalações e consequentemente gerem emprego.

Os lotes serão arrendados para as empresas por 20 anos, podendo ter o contrato renovado por mais 20 anos. A ZPE é um distrito industrial incentivado, local onde indústrias contam com alguns benefícios tributários, cambiais e administrativos, precisando ter, no mínimo, 80% de sua receita vinda de exportações. Camilo explica que, atualmente, a ZPE do Ceará é a única do Brasil que está em funcionamento, e é uma área controlada pela Receita Federal. Em operação no momento, estão as empresas Companhia Siderúrgica do Pecém, White Martins e Phoenix Pecém, que em 2019, movimentaram mais de 12 milhões de toneladas de cargas.

Para o presidente da Zona de Processamento e Exportação Mário Lima Júnior, o mix de infraestruturas e condições de negócios colocam o Ceará competitivo em questões de atrair novas empresas, fazendo um papel importante no desenvolvimento do estado. Condições portuárias, viárias, de comunicação, de clima e geográficas contribuem para o destaque da região em investimentos industriais, de acordo com Mário.

O Porto do Pecém, que está em processo de ampliação, também foi visitado pelo governador do Ceará, que mostrou o novo portão de acesso, Gate 2. A nova ponte para os píeres do porto, o novo berço de atracação para os navios, a CE-576, a duplicação da CE-155, correias transportadoras de carvão mineral e minério, carregadores de contêineres e placas de aço. De acordo com o governo do Estado, um investimento na região de aproximadamente R$ 1,3 bilhão.

Camilo destacou que o complexo tem crescido, mesmo no período de pandemia. Hoje, o Porto é três vezes maior do que o original. Hoje, ele é formado 70% pelo Governo do Ceará e 30% pelo Porto de Roterdã, próximo a região da ZPE.