Prefeito de Santana do Acaraú se apresenta à Polícia e acaba preso 

PUBLICIDADE
Notícias


Prefeito de Santana do Acaraú se apresenta à Polícia e acaba preso

Segundo uma fonte da Polícia Civil, ele estava com um mandado de prisão em aberto

14:44 | 04/09/2018

O prefeito de Santana do Acaraú, Marcelo Arcanjo, apresentou-se nesta terça-feira, 4, na Delegacia Geral de Polícia Civil, no Centro de Fortaleza. Fonte ligada à Polícia Civil informou que o gestor foi até a unidade prisional para prestar o depoimento acerca da morte de um ex-funcionário. No entanto já havia mandado de prisão em aberto em desfavor de Arcanjo. 

[SAIBAMAIS]

O prefeito é suspeito de ter assassinado o ex-funcionário Augusto Cesar do Nascimento, na quarta-feira, 29. Após o crime, ele havia se evadido e esteve foragido durante seis dias. Com o tempo decorrido, ele livrou o flagrante. Porém, havia sido emitido mandado de prisão.

 

 

Nesta terça, o prefeito buscou o Departamento de Polícia do Interior. Lá, ele foi ouvido pelo delegado Marcos Aurélio. O mandado de prisão contra o prefeito é temporário.  

 

No dia do crime o prefeito fugiu em um veículo, que foi encontrado.  Uma série de falsas informações sobre o paradeiro do gestor de Santana do Acaraú  começaram a ser plantadas nas redes sociais. Falsas informações de que o prefeito havia cometido suicídio em Itarema e em Morrinhos chegaram à Polícia, que foi nas duas localidades, mas não encontrou nada. Naquele momento, o tenente-coronel Assis informou que poderia ser uma ação para desviar o foco da PM e deslocar as viaturas que estavam em busca do suspeito. 

 

 

 

Como teria sido o crime

 

 

 

[VIDEO1] 

 

 

Edilane Monte, prima de Augusto, relatou ao O POVO que no início da noite do crime, por volta das 18h30min, o prefeito chegou à casa da família procurando o seu ex-funcionário. Augusto havia sido exonerado dias antes.

 

Ela disse que o prefeito chegou à porta da casa de Augusto e perguntou por ele. Então, Marcelo Arcanjo entrou na residência e foi em direção da vítima. Fazendo gesto de que iria abraçá-lo. Ninguém desconfiava da intenção de Marcelo, segundo ela narra.

 

"Ele chegou e agarrou o meu tio e mandou um tiro no peito. Aqui mesmo ele caiu", disse Edilane. A jovem conta que, após o tiro, a mãe de Augusto chegou ao prefeito e o expulsou da casa desesperada.

 

Homem assassinado quase não pode ser enterrado por falta de aval do prefeito e túmulo é arrombado


[VIDEO2]

 

 

Redação O POVO Online

TAGS