PUBLICIDADE
Notícias

Suspeitos de aplicar golpes bancários são presos em Quixeramobim

Trio foi autuado em flagrante por associação criminosa e lavagem ou ocultação de bens, direitos e valores

19:20 | 02/08/2017
Três pessoas foram presas nessa terça-feira, 1º, no município de Quixeramobim, dentro da Operação Tentáculos. Titular da delegacia do município, André Firmino, afirma que os suspeitos estão envolvidos com um grupo criminoso que atuava com transações bancárias, com valores de dinheiro oriundo de golpes aplicados por detentos de presídios brasileiros.
 
Os três suspeitos foram identificados como Adriano Fonseca de Sousa, 28; Artur Torres de Moura Filho, 21, e Ygor Lima Ramos, 24. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), eles não têm antecedentes criminais. Artur e Ygor foram capturados no interior de uma agência bancária, no mesmo município, quando sacavam dinheiro recebido dos golpes. 
 
Os homens já eram investigados por integrar o esquema criminoso há aproximadamente dois meses. Depósitos de grandes quantias eram realizados por pessoas do Rio de Janeiro, logo após a obtenção do dinheiro das vítimas. As contas eram recrutadas em Quixeramobim. Era transferido, por dia, de R$ 20 mil a R$ 30 mil para pessoas contratadas, em troca de pequenos valores, para ceder cartão de crédito e dados bancários. As investigações apontam que o suspeito Adriano era responsável por recrutar essas pessoas.
 
A equipe da Polícia Civil apreendeu R$ 5 mil em espécie. Duas máquinas utilizadas para realizar compras com os cartões das vítimas, extratos bancários com as movimentações dos criminosos, três aparelhos de celulares, 15 cartões de diferentes contas bancárias também foram apreendidos. Além disso, a Polícia encontrou dezenas de senhas e numerações de contas que seriam usadas no delito.

Os suspeitos foram encaminhados para a Delegacia Municipal de Quixeramobim e autuados em flagrante por associação criminosa e lavagem ou ocultação de bens, direitos e valores. Na sequência, o trio foi conduzido para a Cadeia Pública local. As investigações continuam com a Polícia Civil para prender outros envolvidos no grupo.
 
Redação O POVO Online
TAGS