PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Homem é sentenciado a 36 anos de prisão por morte de jovem em festa de aniversário no município de Pentecoste

A vítima completaria 15 anos no dia seguinte ao dia do crime

10:20 | 29/09/2020
A morte da jovem mobilizou a cidade e seu enterro reuniões centenas de pessoas (Foto: Arquivo Pessoal)
A morte da jovem mobilizou a cidade e seu enterro reuniões centenas de pessoas (Foto: Arquivo Pessoal)

O réu Paulo Ronielton de Sousa Silva, foi sentenciado na última quinta-feira, 24, à pena restritiva de liberdade de 36 anos, nove meses e dez dias, pela prática dos crimes de latrocínio e corrupção de menor no caso da morte da jovem Yasmim de Sousa Furtado, de 14 anos. O crime aconteceu na noite de 14 de setembro de 2017, na localidade de Riacho da Porta, zona rural do município de Pentecoste.

LEIA MAIS: Presos suspeitos do latrocínio que matou jovem no dia de seu aniversário de 15 anos

A adolescente estava em casa, comemorando o aniversário da mãe, juntamente com o padrasto e alguns convidados, quando dois homens armados invadiram o local e anunciaram o assalto. Segundo informações da Polícia, na época do caso, a dupla pediu dinheiro e a chave de uma motocicleta que estava estacionada do lado de fora da casa, mas como não encontraram, passaram a agredir o padrasto da adolescente com coronhadas. Os assaltantes levaram aparelhos celulares e a moto. Antes de fugirem, os assaltantes atiraram em direção à casa, onde a bala ricocheteou e atingiu a nuca da jovem.

Clique na imagem para abrir a galeria

A jovem havia sido socorrida para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e transferida para Fortaleza, em coma induzido, mas não resistiu aos ferimentos. Yasmim completaria 15 anos de idade no dia seguinte ao ocorrido. O crime mobilizou a cidade e estima-se que mais de seis mil pessoas visitaram e acompanharam o velório da adolescente que ocorreu, primeiramente, no ginásio poliesportivo de Pentecoste, e depois em sua casa.

A morte da jovem comoveu também os policiais militares da região, que mobilizaram as investigações e a busca dos autores do crime. A jovem sonhava em fazer parte da corporação.

Na época, o promotor de Justiça Jairo Pequeno Neto requereu a condenação do acusado pelos crimes de roubo seguido de morte e corrupção de menor, já que ele recebeu apoio de um adolescente durante a ação delituosa. A sentença foi definida pelo juiz da Vara Única da Comarca de Pentecoste, Wallton Pereira.