PUBLICIDADE
Ceará
VIOLÊNCIA

Chacina na zona rural de Palmácia deixa cinco mortos nesta manhã

Caso aconteceu na localidade de Cafundó, região de difícil acesso na zona rural do município

11:31 | 13/07/2018
Atualizada às 17horas
 
Homens que estariam caçando em serra de difícil acesso em Palmácia foram assasinados por pessoas encapuzadas na manhã desta sexta-feira, 13. De acordo com fonte ouvida pelo O POVO Online, os mortos seriam um pai, um filho e três amigos. Totalizando cinco mortes, essa é a sexta chacina no Ceará desde o início de 2018. Anteriormente, havíamos noticiado que os homens estariam realizando roubo de gado em propriedade. A informação, porém, não se confirmou.

 

Quem informou o acontecido foi o secretário da Segurança Pública e Defesa Social, André Costa, durante coletiva que anunciaria balanço de homicídios no Estado. O POVO Online apurou que o masscare deixou cinco mortos que foram identificados como Antônio Barbosa Sousa, de 56 anos; Paulo Sérgio dos Santos da Silva, de 30 anos – filho de Antônio Barbosa Sousa -; Francisco Antônio Pereira de Abreu de 43 anos; José Roniely Costa Pereira, de 25 anos e José Edson Ferreira dos Santos, que não teve idade divulgada.
 
O caso aconteceu na localidade de Cafundó, zona rural do município. De acordo com Batalhão de Policial de Canindé, a informação chegou por volta das 9h40min. Policias civis e equipes da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) apuraram o caso no local, que é de difícil acesso. Com informações preliminares, o titular da SSPDS chegou a afirmar que os homens estariam tentando roubar gado quando foram assassinados. No entanto, essa suspeita não se confirmou até o momento.
 
Na tarde desta sexta-feira, 13, informou por meio de nota que os homens teriam sido surpreendidos enquanto caçavam animais em serra de difícil acesso. Os suspeitos dos assassinatos estariam encapuzados e mataram os homens à tiros e golpes de faca. A Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga o caso, juntamente com a Delegacia Regional de Baturité. 
 
Por telefone, um inspetor da Delegacia Regional de Baturité informou à reportagem que as informações serão mais concretas quando os policiais e o delegado retornarem da região e que, por enquanto, não conseguiram dar mais detalhes pelo fato de as investigações ainda estarem em andamento na região, que é de serra e alta. 
 

MATHEUS FACUNDO