PUBLICIDADE
Ceará
Crime

Tiroteio causa tumulto durante cerimônia religiosa em Maranguape

Dois adolescentes foram baleados e uma terceira pessoa invadiu o evento religioso para fugir dos tiros. Situação causou tumulto

18:02 | 04/08/2018

Tiroteio interrompeu uma cerimônia religiosa na Igreja do Rosário, que é anexa à Igreja Matriz de Maranguape. O evento acontecia na noite da última sexta-feira, 3, no Centro da cidade.

Seis homens passaram pela rua Domingos Façanha e efetuaram disparos contra uma residência. Dois adolescentes que estavam no local foram atingidos. Uma terceira pessoa que estava no local correu e invadiu cerimônia religiosa na igreja católica.

Conforme a SSPDS, houve tumulto entre os fiéis. A Polícia Militar deteve um suspeito e o conduziu para a Delegacia Metropolitana de Maracanaú. No entanto, o indivíduo não foi reconhecido pelas testemunhas. Ele foi liberado.


Os dois adolescentes atingidos foram encaminhados a uma unidade hospitalar. Conforme a SSPDS, um Boletim de Ocorrência (B.O.) foi registrado. A Delegacia Metropolitana de Maranguape investiga o caso.

Missa 

Integrante da comunidade católica de Nossa Senhora da Penha, ministra da eucaristia e participante das pastorais de Maranguape, Benenice Abreu explicou que em toda primeira sexta-feira de cada mês acontece a missa de Adoração ao Santíssimo. Ela afirma que, no decorrer da missa, uma pessoa sem camisa entrou e se escondeu em uma das salas da igreja.

Os disparos foram efetuados fora da igreja, nas proximidades da Rodoviária. No entanto, muitos fiéis escutaram os disparos e entraram em pânico. 


Houve correria e parte das pessoas saiu correndo para o altar. Como a igreja não comportava muita gente, outras pessoas saíram pelos fundos. A integrante da pastoral informou que, por pouco, fiéis não foram pisoteados. Ela disse que muitas das pessoas foram embora, mas que 50% permaneceu até o fim da celebração. 

Dona Berenice explica que a adoração acontece há aproximadamente 12 anos e essa foi a primeira vez que aconteceu uma situação de violência que assustasse as pessoas. "Ninguém imaginou passar por isso. Nossos eventos católicos sempre foram tranquilos", relata. 

A ministra da eucaristia afirma que é constante o patrulhamento do Batalhão de Policiamento e Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio) durante os eventos religiosos. Ela afirma que após o caso o padre deu continuidade ao evento religioso e que ainda houve um momento de louvor. 

Outros casos

No dia 1º de abril deste ano, um homicídio foi registrado no Conjunto João Paulo II, dentro de uma igreja católica localizada na praça principal do bairro. A vítima, Francisco Fábio dos Santos, de 40 anos, tentou se esconder dos executores na igreja. No entanto, ele foi morto perto do altar. Três homens realizaram o crime e fugiram. O crime aconteceu no domingo, minutos antes da Missa da Ressureição.  

Um dia antes, um adolescente que foi coroinha da Capela da Imaculada Conceição, no bairro Canidezinho, foi morto a tiros e a golpes de faca, em Maracanaú. O crime chocou a comunidade católica.  

JéSSIKA SISNANDO