PUBLICIDADE
Notícias

Professores de Maranguape realizam ato por reajuste salarial

Objetivo da categoria foi reivindicar cumprimento da Lei do Piso e de outros benefícios trabalhistas

15:03 | 14/02/2014
NULL
NULL
Professores de Maranguape realizaram na manhã desta sexta-feira, 14, um ato reivindicando melhores salários e outros benefícios à categoria.

Os professores pedem reajuste salarial de 16%, implantação do um terço para o planejamento, reformulação do Estatuto e do Plano de Cargos, Carreiras e Salários, realização de concurso público para provimento do cargo de professores e secretários escolares, além de auxílio alimentação e transporte.

Segundo a presidente do Sindicato dos Professores Municipais de Maranguape (Sinproema), Soraia de Freitas, o Município conta com 1.200 professores, mas 400 destes seriam efetivos. "Os temporários estão sem reajuste desde 2012, e os secretários escolares, desde o ano passado. Estamos reivindicando também a correção dessa defasagem", afirma.

Manifestação
O ato, intitulado "Um dia de luta pela Educação", teve concentração às 8h30min na praça da Liberdade, no Centro. Os servidores passaram pela Secretaria de Educação, pelo centro comercial, e seguiram para a Câmara Municipal.

Lá, segundo a representante do Sinproema, o presidente da Câmara, Francisco Habraao Ramos da Silva, permitiu que os professores participassem da sessão. "Conseguimos ter um debate com os vereadores. A Comissão de Educação se propôs a reabrir a mesa de negociação junto à Prefeitura".

Na segunda-feira, 10, membros do sindicato foram recebidos pelo prefeito Átila Câmara. "Ele disse que nesse momento não pode avançar na pauta, pois a folha de pagamento está acima do prudencial. Mas afirmou que vai dar o reajuste do piso salarial dos professores de 8,32%, a partir de março, retroativo a janeiro", explicou. 

O POVO Online tentou contato com a Secretaria de Educação de Maranguape, mas foi informado que a titular da pasta, Lindalva Carmo, está viajando. A secretária adjunto estava em uma reunião e não pôde comentar o assunto.

Redação O POVO Online

TAGS