Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

PF usa drone em acampamento de Limoeiro, equipamento cai e policial chega a disparar durante conflito

A tentativa de desocupação ocorreu mesmo com uma determinação do STF de suspender a reintegração de posse em áreas ocupadas antes da pandemia
14:39 | Set. 15, 2021
Autor Angélica Feitosa
Foto do autor
Angélica Feitosa Jornal
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Um carro descaracterizado da Polícia Federal entrou na área de ocupação do acampamento Zé Maria do Tomé, na zona rural de Limoeiro do Norte, na região do Baixo Jaguaribe, para planejar a reintegração de posse de uma área federal, ocupada por integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST). Ação foi realizada mesmo com a determinação do Supremo Tribunal Federal de suspensão de ordens de desocupação de áreas já habitadas antes da pandemia de Covid-19.

Houve conflito, disparo de um dos policiais e o veículo da PF acabou colidindo com uma motocicleta. Segundo Gene Santos, dirigente nacional do MST no Ceará, a Polícia Federal estava com um drone sobrevoando a área. Os moradores do acampamento então foram até o carro para descobrir do que se tratava. Eles solicitaram que os ocupantes do veículo baixassem os vidros e, após recusa, um confronto teria iniciado. 

“Poderia ter acontecido algo de mais grave. É complicado, porque não teve um mandato nem nada e causa muito estranhamento”, disse Gene durante a reunião realizada com a presença do presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Ceará, o deputado estadual Renato Roseno (Psol), na Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA). 

Em nota, a Polícia Federal informou que realizava levantamentos para o planejamento inicial de cumprimento da decisão judicial proferida pela Justiça Federal, já transitada em julgada, de reintegração de posse de área do Departamento Nacional de Obras contra a Seca (Dnocs), ocupada em 2014.

Ainda de acordo com a PF, embora as diligências ocorressem sem abordagem a pessoas ou ingresso em propriedade privada, os “policiais federais foram hostilizados por posseiros do Perímetro Irrigado Jaguaribe Apodi. Além de cercarem a viatura, tentaram forçar a saída dos policiais e chegaram a jogar pedras no veículo. A ponte de acesso ao local também foi bloqueada”, informa a PF.

Polícia Federal argumenta ainda que, após tentativa de agressão aos policiais com um facão, houve disparo de arma de fogo em direção ao solo, sem o objetivo de atingir qualquer pessoa. A Polícia Federal instaurou inquérito para apurar a ocorrência da possível prática de crimes de dano ao patrimônio da União, além de resistência.

Outro inquérito está em curso para apurar a prática dos crimes de usurpação de área da União, dano ao patrimônio da União e furto de água e energia, praticados de forma reiterada pelos invasores da citada área.

O POVO entrou em contato com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) e aguarda uma mais informações sobre o caso.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags