Participamos do

Corpo de Bombeiros resgata cobra mais venenosa do Brasil em residência de Itaitinga

Cobral coral foi encontrada dentro do quarto de um morador do município

O Corpo de Bombeiros resgatou uma cobra coral, a mais venenosa do Brasil, após receber informações de que “uma possível cobra coral saiu debaixo do guarda-roupa para se esconder por trás da cabeceira da cama”, de acordo com o solicitante da ocorrência. O caso aconteceu na tarde desse domingo, 22, em uma residência de Itaitinga. Agentes de Horizonte foram acionados pela Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops). A pessoa que solicitou a presença dos agentes isolou o quarto onde o animal estava. 

Utilizando equipamentos de proteção individual e de resgate de ofídios, a guarnição conseguiu resgatar a serpente coral verdadeira que se encontrava por trás da cabeceira da cama.

Atuaram no resgate, o subtenente J Wilson, o subtenente Adailton (COV), o cabo Pedrosa, o soldado Igor Moura e o soldado Levi. Na viatura Auto Bomba Tanque e Salvamento 06 (ABTS 06).

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

A serpente, sem ferimento aparente, foi devolvida ao seu habitat natural, longe de residências em área de proteção ambiental.

Como identificar a cobra coral verdadeira

No geral, cobras corais verdadeiras e falsas possuem padrões de anéis diferentes. Nas verdadeiras, os anéis vermelho e amarelo ou vermelho e branco ficam "juntos". Já nas falsas, há uma faixa preta separando os anéis amarelo e vermelho.

O que devemos fazer ao encontrar uma cobra coral?

Em todo caso, mesmo se tratando de uma cobra coral falsa, o indicado é manter distância e isolar o local onde o animal se encontra. O segundo passo é acionar quem possa resgatar a cobra, como os bombeiros, por meio do 193.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar