PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Criminoso esquece de "deslogar" das redes sociais após assalto a lan house e acaba preso

Quatro suspeitos foram presos na ação

09:49 | 17/05/2019

Após o assalto a uma lan house em Iguatu, um dos criminosos teria esquecido de se "deslogar" das redes sociais no aparelho usado no local e o "deslize" fez com que quatro suspeitos fossem presos pela Polícia Militar. De posse das informações, o Comando de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (CPRaio) realizou as prisões, nesta terça-feira, 14. Quatro aparelhos celulares foram apreendidos.

Conforme a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), foram presos, nas proximidades do bairro Vila Centenário, Alisson Mateus de Oliveira Alexandre, 19, com antecedentes por furto e crime contra administração pública. Após passar por busca pessoal, ele confessou que teria praticado o crime com a participação de seu irmão.

De acordo com o órgão, a composição se deslocou até a residência de Anderson Oliveira Alexandre, de 22 anos, irmão de Alisson. Lá, os policiais prenderam Anderson e apreederam dois aparelhos celulares fruto do roubo. Dando seguimento às apreensões, os policiais militares foram até o trabalho de Anderson, onde Francisco Anderson Ferreira Lopes, 20, sem antecedentes, e José Anderson Paulino de Souza, 22, com antecedentes por tráfico de drogas, foram localizados. Os agentes encontraram outros dois celulares. Diante dos fatos, os suspeitos foram conduzidos para a Delegacia Regional de Iguatu, onde Alisson Mateus de Oliveira Alexandre e Anderson Oliveira Alexandre foram reconhecidos como autores do crime. Eles foram autuados por roubo. Os outros dois comparsas foram autuados por receptação.

Denúncia

A população pode contribuir com as investigações repassando informações que possam auxiliar os trabalhos policiais. As denúncias podem ser feitas pelo número 181, o Disque-Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), ou para o número (88) 3581-0307 que é da Delegacia Regional de Iguatu. O sigilo e o anonimato são garantidos.

Redação O POVO Online