PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Cachorro é arrastado preso à carroceria de automóvel de proteção ambiental do Eusébio

Prefeitura do Eusébio afirmou que os responsáveis serão punidos

Jéssika Sisnando
22:39 | 17/03/2020
Um vídeo mostrou o momento que o cão é arrastado ao ficar preso na carroceria do automóvel
Um vídeo mostrou o momento que o cão é arrastado ao ficar preso na carroceria do automóvel (Foto: reprodução/vídeo )

Atualizada em 18/3/20, às 12 horas

Após cair de um veículo da Autarquia Municipal do Meio Ambiente e Controle Urbano (AMMA), um cachorro da raça pit bull foi arrastado pelo automóvel preso em uma corda. A cena foi flagrada por pessoas que transitavam pelo Eusébio, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), nesta terça-feira, 17. 

Imagens também mostraram o cachorro amarrado e, aparentemente, com dificuldade de respirar. Um vídeo gravado pelos responsáveis mostra o cão e afirma que ele caiu durante o trajeto, após ser apreendido. No vídeo, os homens afirmam que o animal foi retirado da residência após atacar uma família e que houve dificuldade para colocá-lo na carroceria de um automóvel. Nas imagens, um homem afirma que o cachorro caiu e ficou preso pela corda, mas não sofreu ferimentos graves. 

O POVO entrou em contato com a Prefeitura do Eusébio e foi informado que os representantes devem se posicionar oficialmente na quarta-feira, 18, em relação ao caso. No entanto, a Prefeitura ressaltou que está apurando o caso e antecipou que os responsáveis serão punidos. A Prefeitura do Eusébio informa que repudia qualquer maltrato contra qualquer animal.

Em nota, a Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) informou que a Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) apura "uma possível prática de crime de maus-tratos a um cachorro". A Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa dos Animais (Coani) da Secretaria do Meio Ambiente do Ceará (Sema) e policiais civis da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core) colaboram com o trabalho policial.

Crimes ambientais podem ser denunciados diretamente à DPMA pelo telefone (85) 3247-2630 ou pelo e-mail [email protected] A polícia garante o sigilo das fontes.