Participamos do

Chefe de facção que teria ordenado chacina de Caucaia deve ir para o novo presídio de segurança máxima

O homem tem passagens no Ceará por falsidade ideológica, porte ilegal de armas de fogo e tráfico de drogas
11:46 | Ago. 10, 2021
Autor Redação O POVO
Foto do autor
Redação O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Domingos Costa Miranda, 38, apontado como chefe de facção criminosa e mandante da chacina do Boqueirão de Araras, distrito de Caucaia, deve ser transferido para o novo presídio de segurança máxima no Ceará, segundo a Polícia Civil do Ceará (PMCE). De acordo com as investigações, Domingos era o único chefe do grupo criminoso que ainda estava em liberdade. Ele era, atualmente, o chefe do Comando Vermelho no Ceará e foi preso no sábado, 7, no bairro Henrique Jorge, em Fortaleza.

LEIA MAIS: Ceará inaugura primeiro presídio estadual de segurança máxima

O suspeito é apontado como mandante da chacina do Boqueirão de Araras, distrito de Caucaia, que resultou na morte de cinco pessoas no último dia 31 de julho. Ele teria articulado a ação com outros cinco suspeitos, que já foram presos pela Polícia. Um dos outros chefes da mesma facção era Max Miliano Machado da Sail, 33, que foi preso em fevereiro na Operação Guilhotina, que resultou também na apreensão de 633 quilos de cocaína , crack e R$ 75 mil.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Domingos tem passagens pela Polícia no Ceará por falsidade ideológica, porte ilegal de armas de fogo e tráfico de drogas. Ele era investigado pela Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) desde novembro de 2020, por ações em uma organização criminosa no Complexo do Salgueiro, no Rio de Janeiro. Em julho, o suspeito voltou ao Ceará e gerenciou diversos crimes. 

Organização criminosa

Além de desempenhar liderança no Estado, o suspeito é apontado como o segundo na linha de sucessão do grupo criminoso formado por cearenses que atuavam no Rio de Janeiro. Lá, o homem auxiliava nas ações no Complexo do Salgueiro e controlava conflitos internos dentro da organização.

Essa seria inclusive a motivação do retorno de Domingos para o Ceará.  As vítimas eram dissidentes da facção liderada por Miranda e ameaçavam assassinar os integrantes do bando adversário. Os dois grupos disputam o controle do tráfico de drogas em diversos bairros da periferia de Caucaia, como explica Klever Farias, titular da Draco. "Há indícios que ele teria retornado agora em julho para de fato administrar essa questão da tomada de território ", ressaltou o delegado. 

As investigações contra o grupo começaram em junho de 2020 a partir de mensagens e vídeos em aplicativos sobre o domínio do grupo em diversos bairros de Fortaleza. A primeira prisão de alguém do grupo foi ainda no mesmo mês de junho. Até fevereiro deste ano, a Polícia contabilizava mais de 25 pessoas presas.

Mais crimes em investigação

De acordo com a PCCE, a prisão do homem deve ajudar em investigações de outros crimes especialmente em Caucaia, mas também em outras regiões do Ceará. "Além de provas de envolvimento dele com organizações criminosas e tráfico de drogas, a Polícia Civil está investigando vários homicídios ocorridos em Caucaia, de quais crimes ele seria mandante", ressaltou o titular da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado do Ceará, Sandro Caron. 

Segundo o secretário, todos os crimes de homicídio que aconteceram no Município serão revisados para analisar se o suspeito teria ligação. O objetivo, segundo o titular, é que Domingos seja condenado por todos os crimes em que teve participação. 

Com informações de Angélica Feitosa 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags