PUBLICIDADE
Noticia

Falta de água em hospital pode ter sido sabotagem política, diz Prefeitura de Caucaia

Após vídeo de denúncia de suposta falta de água no Hospital Municipal de Caucaia, foi constatado que o registro geral da unidade havia sido desligado

Alan Magno
21:51 | 09/05/2020
Prefeitura se defende dizendo ser vítima de sabotagem política
Prefeitura se defende dizendo ser vítima de sabotagem política (Foto: Reprodução / Prefeitura de Caucaia)

Vídeo denunciando a suposta falta de água no Hospital Municipal dr. Abelardo Gadelha da Rocha, em Caucaia, Região Metropolitana de Fortaleza, circulou neste sábado, 9, nas redes sociais. O problema, contudo, pode ter sido gerado por sabotagem, de acordo com a Prefeitura do Município.

A gestão se pronunciou sobre o ocorrido, por meio de assessoria. De acordo com relato, ao tomar conhecimento do vídeo em questão, a equipe de manutenção do hospital foi acionada e descobriu que o registro geral de um banheiro em específico havia sido desligado, interrompendo momentaneamente o fornecimento apenas daquele banheiro, não afetando outros setores do hospital.

O vídeo da denúncia mostra o hospital sem água e os banheiros da unidade repletos de sujeira, incluindo amontado de fezes em vasos sanitários. Quem narra o relato se identifica como José Ayrton Fernandes da Silva, mas não aparece em nenhum momento do vídeo, com apenas a voz realizando a denúncia. De acordo com o vídeo, ele supostamente estaria acompanhando o pai, que estaria internado no hospital. No relato, ele se emociona ao comentar sobre a falta de água.

Em nota, a Prefeitura de Caucaia informa que a situação foi rapidamente regularizada, não prejudicando o atendimento de pacientes e acompanhantes. O posicionamento destaca que o Governo Municipal tem reunido esforços para combater o coronavírus e que, infelizmente, "precisa dispensar forças para combater informações falsas".

Ao comentar que a chave geral do banheiro teria sido fechada propositalmente para gravação do vídeo, a assessoria destacou que a gravação teria o intuito de desmoralizar a atual gestão com a divulgação de material fraudado. “Há rumores que é um movimento político”, completou. Foi destacado um outro episódio recente, no qual a Prefeitura de Caucaia foi acusada de montar lonas improvisadas para abrigar os pacientes com Covid-19.