PUBLICIDADE
Notícias

Turista morre durante prática de kitesurf em Camocim

O turista, que aparentava ter 35 anos e tinha 1,75m de altura, foi levado ao IML de Sobral como indigente porque ainda não foi identificado. As causas da morte ainda são investigadas

11:53 | 13/12/2016

Um turista francês morreu durante a prática de kisurfe, na tarde dessa segunda-feira, 12, na praia de Tatajuba (localidade da Lagoa Grande), em Camocim. A vítima ainda não foi identificada e foi levada ao Instituto Médico Legal (IML)de Sobral como indigente, de acordo com a Polícia Militar. As causas da morte ainda não foram identificadas.

O turista aparentava ter 35 anos e tinha 1,75m de altura, conforme descrição repassada pela PM. "Ele estava sem documentação e algumas pessoas informaram que ele estava hospedado em Jeri. Como o IML levou o corpo antes do retorno das informações de lá, ele acabou sendo levado como indigente",explicou o sargento Francisco Gomes, da 3ª cia. do 3º Batalhão de Polícia Militar (BPM).

O POVO Online procurou a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), que informou que a vítima ainda não foi identificada. Em nota, a secretaria informou que equipes da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) e da Polícia Militar estiveram no local da ocorrência e realizaram os procedimentos necessários.

O advogado Luiz Octávio Sousa Lopes, que mantém página de kitesurf em Camocim, relata que o turista não teria feito os procedimentos de emergência. "A gente não sabe se ele teve um mau súbito ou se afogou. Ele pode também ter batido a cabeça durante manobra, mas existe o procedimento para se ejetar na água e se separar do aparelho", avalia.

O advogado Octávio pratica kistesurf desde 2009 e possui carteira da Associação Internacional de Kiteboarding (IKA). "A praia [onde o turista morreu] é muito frequentada pelos turistas que estão em Jericoacoara. Já aconteceram alguns acidentes com turistas de Jeri, que às vezes não sabem o nível da água ou não têm ligação com as entidades de kitesurf", frisa.

No País, a Associação Brasileira de Kitesurf sugere o funcionamento padrão para a prática segura e profissional do esporte.

TAGS