PUBLICIDADE
Notícias

Golfinho encalha em praia de Barroquinha

O encalhe dos animais na areia evidencia impactos sofridos na saúde ou no ciclo de vida, provavelmente provocados pela ação humana

12:22 | 05/02/2014
NULL
NULL

Um golfinho fêmea de 1,89 metros foi encontrado encalhado na tarde da última terça-feira, 4, na praia dos Curimãs, em Barroquinha, 413,3 km de Fortaleza. O animal foi resgatado vivo por biólogos e veterinários dos projetos Biomade e Manatí, que até está quarta-feira, 5, prestam atendimentos para a reintegração do golfinho ao mar.

Pescadores da região informaram que o golfinho estava completamente encalhado na parte seca da praia, a aproximadamente 50 metros da linha da maré. Ao perceberam que o animal estava vivo, eles teriam tentado reintroduzir o animal ao oceano, mas não obtiveram sucesso.

Segundo informações do projeto Biomade, técnicos coordenados pelo biólogo Antônio Carlos Amâncio, da Aquasis, trabalharam durante toda a madrugada no local prestando socorro ao golfinho, que está "bastante debilitado". Ele foi colocado em uma pequena piscina natural da localidade e recebe atendimentos médicos da equipe até que possa ser reintroduzido ao oceano.

O golfinho encalhado vivo em Barroquinha trata-se do ''Stenella frontallis'', conhecido popularmente como golfinho-pintado do Atlântico. Segundo a Aquasis, o encalhe de animais marinhos na costa evidencia que ele sofreu algum impacto na saúde ou no ciclo de vida, provavelmente provocados por ação humana.
[FOTO2]

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Baleia encalhada
No último dia 1° de janeiro, uma baleia cachalote de aproximadamente 16 metros encalhou na praia dos Curimãs e veio a óbito no local. Uma operação de enterramento da baleia foi realizada para evitar contaminação da população por alguma doença que pudesse ser transmitida pelo mamífero.

Dados da Aquasis apontam que são registrados, por ano, cerca de 29 encalhes de mamíferos marinhos no Ceará. Doentes ou desorientados por impactos do homem, os animais precisam de cuidados para voltar ao mar.

Projetos
O Biodiversidade Marinha do Delta (Biomade) é um projeto do Instituto Tartarugas do Delta, cujo principal objetivo é realizar o levantamento da biodiversidade marinha encontrada na Área de Proteção Ambiental Delta do Parnaíba.

Já o Manatí é executado pela Associação de Pesquisa e Preservação de Ecossistemas Aquáticos (Aquasis) e SESC Ceará. Seu principal objetivo é a conservação do peixe-boi marinho, espécie criticamente ameaçada de extinção, além de diversas espécies de cetáceos que ocorrem no Ceará, Rio Grande do Norte e Piauí.

Serviço:
Aquasis
(85) 3318-4911
[email protected]

Projeto Biomade
(86) 9975-5380
[email protected]

Amanda Araújo
[email protected]

TAGS