PUBLICIDADE
Ceará
Ex-líder do PCC

Justiça determina devolução da aliança de Gegê do Mangue à família

15:32 | 04/10/2018
Rogério Jeremias de Simone, o Gegê do Mangue (Foto: Reprodução/Tatiana Fortes/O POVO)
 
A mulher e os filhos de Rogério Jeremias de Simone, o Gegê do Mangue, conseguiram na Justiça o direito de receber a aliança do ex-líder do PCC, morto em 15 fevereiro deste ano em Aquiraz, no Ceará. A decisão foi tomada pelos juízes Edísio Meira Tejo Neto, Mônica Lima Chaves Coutinho e César Morel Alcântara na última quarta-feira, 3. 

Apesar de portar vários objetos de alto valor, incluindo relógio, bracelete e correntes, a família requereu a devolução apenas do anel, alegando valor sentimental. "Verificamos que o bem apreendido (...) não possui relevância probatória ao processo que apura o homicídio da vítima, portanto, não interessa ao processo. A propriedade do bem presume-se à vítima, sendo os requerentes seus herdeiros. Diante do exposto, (...) deferimos o pedido e determinamos a devolução", decidiram os juízes. 
 
O integrante da facção criminosa e o amigo Fabiano Alves de Sousa, o Paca, também membro do grupo, foram mortos por membros de uma organização aliada ao PCC, segundo denúncia oferecida pelo Ministério Público do Ceará (MPCE) e recebida pela Justiça no último dia 17 de agosto. 

Dos dez réus, pelo menos seis denunciados pertenciam a um grupo, sem nomeação, considerado "independente" do PCC, que autorizou a ação. O líder era Wagner Ferreira da Silva, 32, o Wagninho ou Cabelo Duro, morto uma semana após o duplo homicídio em suposta queima de arquivo. Ele acumulava posição no alto escalão na facção paulista enquanto mantinha a própria organização, especializada no tráfico de drogas e armas, roubos e lavagem de dinheiro.
Redação O POVO Online