PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Ecomuseu do Mangue da Sabiaguaba se torna Patrimônio Histórico-Cultural e Natural de Fortaleza

Local tem 19 anos de atuação em ações de educação ambiental na Sabiaguaba e no Parque Estadual do Cocó. São previstas ações de maior proteção para a região dos manguezais por meio da nova lei

Lais Oliveira
20:10 | 26/12/2020
FORTALEZA, CE, BRASIL, 29.02.2020: IV Limpando os Manguezais organizado pelo Ecomuseu Natural do Mangue. (foto: Thais Mesquita/O POVO) (Foto: Thais Mesquita)
FORTALEZA, CE, BRASIL, 29.02.2020: IV Limpando os Manguezais organizado pelo Ecomuseu Natural do Mangue. (foto: Thais Mesquita/O POVO) (Foto: Thais Mesquita)

 

Com um histórico de 19 anos de trabalho em educação ambiental, o Ecomuseu do Mangue da Sabiaguaba agora é Patrimônio Histórico-Cultural e Natural de Fortaleza. O reconhecimento foi publicado no Diário Oficial do Município dessa quarta-feira, 23, e prevê monitoramento ambiental da região, divulgação turística do local e articulação para preservação dos mangues.

A lei nº 11.053, que delibera sobre a oficialização, foi sancionada na segunda-feira, 21, pelo prefeito Roberto Cláudio (PDT). Ambientalista e diretor do Ecomuseu, Rusty Sá Barreto comemora a decisão. "Representa que o caminho que estamos trilhando, de luta e trabalho. É o caminho certo, onde a gente não pensa somente na gente, mas nas futuras gerações, de forma prática e real", completa.

O Ecomuseu desenvolve ações como aulas de campo, museu itinerante (exposições em outros locais), canoagem ambiental (que possibilitam a limpeza do Rio e ajuda na prática de esporte), reflorestamento e limpezas de manguezais na região da Sabiaguaba e do Parque Estadual do Cocó. O local guarda ainda acervo com espécies do ecossistema nativo.

Com a conquista do Ecomuseu como Patrimônio Histórico-Cultural e Natural de Fortaleza, Rusty acredita que será possível fortalecer e ampliar as atividades que já vêm sendo executadas.

"Isso nos abre um caminho muito importante para outros trabalhos que temos no Estado e no Brasil de conscientização, de preservação e de educação ambiental. Não é somente um mérito do museu, é um mérito de todos aqueles que acreditam que, como cidadãos, podem fazer a diferença", ressalta, agradecendo o esforço coletivo de voluntários, parceiros e colaboradores que apoiam o Ecomuseu.

No momento, devido à pandemia de Covid-19, as atividades estão ocorrendo apenas de forma virtual, e a direção aguarda as novas resoluções do Estado.

FORTALEZA, CE, BRASIL, 29.02.2020: IV Limpando os Manguezais organizado pelo Ecomuseu Natural do Mangue. (foto: Thais Mesquita/O POVO)
FORTALEZA, CE, BRASIL, 29.02.2020: IV Limpando os Manguezais organizado pelo Ecomuseu Natural do Mangue. (foto: Thais Mesquita/O POVO) (Foto: Thais Mesquita)

Em 2019, quase duas toneladas de lixo foram retiradas dos manguezais do Ceará por meio da iniciativa Limpa Mangue Brasil, movimentada pelo Ecomuseu Natural do Mangue. O local participou ainda da fundação e articulação da Rede Nacional de Manguezais (Renaman).

Além disso, pelo menos dois hectares de vegetação já foram reflorestados por meio da ações, segundo estima Rusty. Só em outubro, o Ecomuseu plantou 1.500 mudas de mangue vermelho, em parceria com a rede de farmácias Pague Menos na Campanha Cidade Verde.

O Ceará é o primeiro estado do Brasil a ter uma Semana Estadual de Proteção aos Manguezais, outra ação que teve engajamento do Ecomuseu. Segundo o Atlas dos Manguezais do Brasil de 2018, do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), o Estado é o 8º com maior área de mangues no País, detendo 19.518 hectares.

LEIA MAIS | Entenda a importância de preservar os manguezais, um dos ecossistemas mais indispensáveis do planeta 

Confira o que prevê a lei que torna o Ecomuseu do Mangue da Sabiaguaba Patrimônio Histórico-Cultural e Natural de Fortaleza:


I — a divulgação, em publicações promocionais de turismo, do “status” de patrimônio histórico-cultural e natural conferido a esse bem;

II — articulação, com entidades científicas e conservacionistas, visando ao estudo dos mangues e à conscientização para sua preservação;

III — o monitoramento ambiental da região, evitando e/ou minimizando sua poluição, bem como promovendo ações de reflorestamento.

Saiba mais sobre o Ecomuseu Natural do Mangue:

Contato: (85) 98748 5296 e (85) 99112 6779 ou [email protected]
Mais informações: @ecomuseunaturaldomangue (Instagram e Facebook) ou site https://ecomuseu-natural-do-mangue.webnode.com/


TAGS