Participamos do

Motorista de aplicativo é condenado a 29 anos de prisão por morte de ex-namorada grávida

Wando Cordeiro Vasconcelos, motorista de aplicativo em Fortaleza, não concordava com a gravidez da ex-namorada

Após quase nove horas de julgamento, o Conselho de Sentença da 5° Vara do Júri da Comarca de Fortaleza considerou Wando Cordeiro Vasconcelos, de 35 anos, culpado pela morte da ex-namorada. O motorista foi condenado a 29 anos de prisão pela morte de Maria Efigênia Santana Soares. Wando teria cometido o crime por não concordar com a gravidez da moça. O veredito foi divulgado na noite desta quinta-feira, 12.

Maria Efigênia, de 28 anos, era estudante universitária e estava grávida. De acordo com informações do Tribunal de Justiça do Ceará (TJ-CE), o réu confessou ao júri popular que tinha conhecimento da condição da ex-namorada. A juíza Valência Maria Alves de Sousa Aquino considerou a declaração de Wando desfavorável para a sua defesa, o que aumentou o grau de reprovabilidade da conduta do motorista.

Wando Cordeiro foi considerado culpado pelo crime de homicídio qualificado, quando há intenção de matar por motivo específico. A decisão do Conselho de Segurança ainda considerou a motivação do crime como cruel, o que dificultou a defesa de Wando. O júri popular teve início às 9 horas da manhã dessa quinta-feira, 12, e foi finalizado às 18 horas do mesmo dia. Na sessão foram ouvidas cinco testemunhas, sendo estas de acusação, defesa e o réu.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Como o crime aconteceu

 

O caso aconteceu no dia 13 de janeiro de 2021 por volta das 21 horas. Wando atraiu a vítima para uma conversa particular sobre a gestação de Efigênia. Na ocasião, a acusação era de que ele havia matado a vítima asfixiada e incendiado o corpo em seguida. O motorista ocultou o corpo próximo a BR-116, na cidade de Chorozinho. Após o ocorrido, o réu contatou a família de Maria Efigênia, forjando um pedido de resgate no valor de 20 mil reais. A Polícia Civil rastreou o celular da vítima e percebeu que o pedido de resgate era uma farsa de Wando.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar