Participamos do

Ceará é o estado do Nordeste que mais se prepara em plataforma online para Enem

Em números relativos, o Ceará assume o primeiro lugar no Brasil em relação a quantidade de alunos que aderiram a cursinhos online
19:32 | Abr. 23, 2022
Autor Lara Vieira
Foto do autor
Lara Vieira Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

As provas do Enem 2022 acontecerão no próximo mês de novembro. Buscando estratégias de aprendizado, muitos estudantes optam por complementar os estudos com formas de ensino online. De acordo levantamento da plataforma de estudos Professor Ferretto, desde o ano de 2020, a adesão de cursinhos online aumentou 50%. Atualmente, a plataforma Prof. Ferretto, que tem como foco a preparação para o Enem e vestibulares, conta com 50 mil alunos de todo o Brasil. O Ceará é o primeiro estado do Nordeste e o terceiro do País em números de alunos matriculados. Ao todo, são cerca de quatro mil alunos inscritos, ou seja, um em cada dez estudantes é cearense.

Em números relativos, quando se divide a quantidade de alunos pelo quantitativo da população, o Ceará assume o primeiro lugar na quantidade de alunos que aderiram a cursinhos online na plataforma. O resultado ultrapassa, inclusive, o estado de São Paulo. "O Ceará sempre teve uma posição de destaque nos estudos e a gente está percebendo agora que o (modelo de ensino) online também está se consolidando no nosso Estado" comenta o cearense Michel Arthaud, professor da plataforma Prof. Ferreto.

 Michel Arthaud ensina química de forma online desde 2020
Michel Arthaud ensina química de forma online desde 2020 (Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução)

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Apesar de lecionar desde 1997, foi apenas em 2020 que Michel imergiu no meio online. De acordo com ele, o período da pandemia desmistificou o ensino remoto. "Muitas pessoas encaravam o ensino online como complemento ou às vezes com preconceito", comenta o professor de química. De acordo com ele, a forma de ensino híbrida é a melhor solução para a educação no futuro, pois abrange o melhor dos dois lados.

Michel ainda comenta que a principal vantagem do ensino remoto é a otimização do tempo do aluno, pois ele não precisa gastar tempo se deslocando ao local do cursinho. "Ele (também pode) fazer com que o ensino seja próprio para ele, sem precisar estudar coisas que ele não tem necessidade e que, quando você tem uma turma com vários alunos, têm de ser repetidos. Ele pode fazer o cronograma de acordo com suas necessidades. Hoje, tornar-se o protagonista do próprio ensino é a principal vantagem do online", complementa o professor, que também administra o canal de estudos no youtube Café com Química.

De acordo com o professor, na pandemia houve adesão maior, inclusive, de profissionais da educação ao meio online. Ele indica que a pluralidade nos cursinhos à distância proporciona motivação extra para os alunos. "Professores das mais diversas regiões, fazendo com que os alunos, também das mais diversas regiões, se sintam abraçados, se sintam tocados, se sintam representados. Quando você vê algum professor que é próximo de você, que tá falando a sua 'língua', o seu sotaque, tem o seu jeito, seus costumes e te deixa confortável, isso é muito bom. Eu considero que é uma das coisas mais importantes a gente conseguir abranger toda essa brasilidade", aponta Michel Arthaud.

Clara Escobar, de 19 anos, estuda online para tentar uma vaga no curso de medicina
Clara Escobar, de 19 anos, estuda online para tentar uma vaga no curso de medicina (Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução)

A cearense Clara Escobar, de 19 anos, utiliza o meio online como estratégia para se preparar para as provas do Enem. Ela conta que, durante 2020, o primeiro ano de pandemia, sofreu bastante com o ensino à distância. "(Eu tinha) falta de concentração, aulas ao vivo que caíam constantemente, professores que não estavam preparados para aquela nova modalidade de ensino. Esse último eu não os culpo, vi o tanto que eles se esforçaram para fazer a melhor aula que eles podiam naquele momento", relata a estudante.

Clara concluiu o ensino médio em 2019. Após fazer o Enem pela primeira vez com o intuito de ingressar numa universidade, ela percebeu que ainda não estava preparada. A jovem conta que, por causa da pandemia e por questões financeiras, um cursinho presencial tornou-se inviável. Após pesquisas, ela decidiu que o estudo online seria a melhor opção.

Clara aprova a experiência no formato online. A jovem, inclusive, comenta muito sobre suas estratégias de estudos em seu Studygram, perfil na rede social Instagram voltada para estudos.

Conteúdo sempre disponível e acessos ilimitados. Assine O POVO+ clicando aqui

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar